A formação de professores da educação infantil e a relação com a prática pedagógica no município de Catalão/GO.

Priscilla Andrade Ximenes, Altina Abadia Silva

Resumo


Este trabalho originou-se de uma pesquisa cujo o objetivo foi analisar a formação inicial e continuada de professores da Educação Infantil do sistema municipal de Ensino de Catalão/GO procurando entender como são constituídos os espaços formativos desses professores e quais os impactos dessa formação recebida na sua prática pedagógica. O Referencial Teórico adotado foi a Psicologia Histórico-Cultural, com ênfase no conceito vygotskyano de mediação. Através de observações reuniões de planejamento coletivas de professores na escola e nas reuniões coletivas realizadas pela secretaria de educação do município e pelas entrevistas com um grupo de professores e gestores realizamos a investigação da formação inicial e continuada dos professores oferecida pela rede municipal de ensino. Encontramos indicativos da ineficiência da formação continuada recebida pelas professoras, por se pautar na racionalidade técnica e ainda na imitação de um professor modelo que transmite pares, atividades e concepções de compreensão, impossibilitando que os professores reflitam de maneira crítica e autônoma sobre a sua prática pedagógica. Ademais, constatamos que hoje, em Catalão/GO, muitos professores que atuam na educação infantil, não são pedagogos e possuem licenciaturas nas mais diversas áreas, o que interfere na sua prática pedagógica.

Palavras-chave


Formação de professores. Educação infantil. Processos formativos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARCE, Alessandra. Compre um kit neoliberal para a Educação Infantil e ganhe grátis os dez passos para se tornar um professor-reflexivo. Educação & Sociedade, Campinas, v. 22, n.74, p. 251-283, abr. 2011.

BRASIL. Plano Nacional de Educação/apresentado por Ivan Valente. Rio de Janeiro, DP&A, 2001.

__________. Lei n. 9.394. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

__________. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, Brasil, 1998.

__________. Ministério da Educação e do Desporto Proposta de Diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica. Brasília: MEC/SEF. Brasil, 2001.

FARIA, Ana Lucia Goulart. Sons sem palavras e Grafismo sem letras/Linguagens, Leituras e Pedagogia na Educação Infantil. In.: FARIA, A. L.G., MELLO, S. A. O mundo da escrita no universo da pequena infância. Campinas, SP: Autores associados, 2005a.p. 119-142.

FREITAS, Luís C.: Teoria pedagógica: limites e possibilidades. Série Ideias. São Paulo: F.D.E., pp.37-46, 1995.

GONZÁLEZ REY, F. L. Sujeito e subjetividade. Uma aproximação histórico-cultural. Tradução: Raquel Souza Lobo Guzzo. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

KRAMER, Sonia. Por entre as pedras: arma e sonho na escola. São Paulo: Ática, 1988.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo, Cortez Editora,1996.

LUDKE, Menga e ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U. 1986

MARTINS, L. M. A formação social da personalidade do professor: um enfoque vigotskiano. Campinas: Autores Associados, 2011.

MARTINS, Lígia Márcia O Ensino e o Desenvolvimento da Criança de Zero a Três Anos ARCE, Alessandra (Org.). Ensinando aos pequenos: de zero a três anos. 2. ed. Campinas: Alínea, 2012.

NASCIMENTO, M. E. P. do. Os profissionais da Educação Infantil e a nova Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional In: FARIA, A. L. G. de e PALHARES, M. S. Educação Infantil pós-LDB: rumos e desafios. Florianópolis SC: Autores Associados, 2003.

OLIVEIRA, Z. R. de (Org.). Educação Infantil: muitos olhares. São Paulo: Cortez Editora, 2000.

OSTETTO, L. (Org.). Encontros e encantamentos na Educação Infantil: partilhando experiências de estágios. Campinas, SP: Papirus, 2000.

PIMENTA, S.G. Saberes pedagógicos e atividade docente.Editora Cortez. São Paulo. 2012.

RAUPP, M.D. Concepção de formação das professoras de crianças de 0 a 6 anos em Portugal e no Brasil.Disponível em: http://www.abrapee.psc.br/artigo35.htm. Acesso em: Jan. 2015.

RODRIGUES, Marli de Fátima. Da racionalidade técnica à “nova” epistemologia da prática: a proposta de formação de professores e pedagogos nas políticas oficiais atuais.

Curitiba, 2005. 228 f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal do Paraná.

SILVA, Altina. A.; XIMENES, Priscilla. A. S. Os fios e as tramas da infância em um município goiano. In: EPECO – ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DO CENTRO-OESTE, GT 7., Goiânia, 2014. Anais... Goiânia: Ed. UFGO, 2014.

SILVA, Janaína C., O que o cotidiano das instituições de educação infantil nos revela? O espontaneísmo X o ensino ARCE, Alessandra (org.). Ensinando aos pequenos: de zero a três anos. 2. ed. Campinas: Alínea, 2012

VEIGA, Ilma Passos A. (Org.) Projeto Político-Pedagógico: uma construção possível. 17. ed.Campinas: Papirus, 2005.

VYGOTSKY, L. S. Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores.Cuba: Editorial Cientifico Técnica, 1988.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.