Nas páginas da imprensa: lugares da produção de conhecimento na história da educação mato-grossense

Adriana Aparecida Pinto

Resumo


O presente artigo objetiva apresentar reflexões acerca dos lugares de produção da história da educação mato-grossense, elegendo como fontes para as análises, dispositivos ligados à imprensa periódica posta em circulação no Estado, entre os anos de 1880 e 1920. Parte-se da hipótese de que a imprensa de circulação geral é fértil para entender e examinar os debates que foram instaurados no campo da instrução pública bem como os temas de destaque assim como aqueles que caíram na opacidade. Busca-se, por meio do aparato teórico metodológico assentados nos estudos produzidos por autores que de um modo ou outro se valem da perspectiva da História Cultural, estabelecer parâmetros para analisar essa produção, e assim redefinir as possibilidades interpretativas sobre o lugares autorizados para a produção do conhecimento historiográfico em educação, bem como validar o esforço de analise com fontes ligadas a imprensa. Portanto, as estratégias de esquadrinhamento das fontes demandaram formas complementares de apropriação da imprensa, demonstram que as discussões postas em circulação nos momentos que perfazem as análises revelam um Estado que estava antenado com as propostas educacionais efetivadas nos grandes centros políticos do período, embora não tivessem ainda condições de implementá-las do ponto de vista prático.

Palavras-chave


História da educação em Mato Grosso. Imprensa periódica. Instrução pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, G. L. Educação e História em Mato Grosso (1719-1864). 2ed.

revista e ilustrada. Campo Grande: Editora UFMS, 1996.

ALVES, G. L. Nacional e Regional na história educacional brasileira: uma

análise sob a ótica dos estados mato-grossenses. Educação no Brasil:

história e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados: São Paulo:

SBHE, 2001. p. 163-189.

BICCAS, M. de S. O impresso como estratégia de formação. Belo

Horizonte: Argumentum, 2008.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

BRAZIL, M. do C.; FURTADO, A. C. Instituições escolares em Mato

Grosso e Mato Grosso do Sul: primeiros apontamentos sobre a produção

historiográfica nos séculos XX e XXI. In: COSTA, C. J. MELO, J. J. P.;

FABIANO, L. H.. Fontes e métodos em história da educação. Dourados,

MS: Ed. da UFGD, 2010. p. 283-311.

CALHAÓ, A. E. P.; MORGADO, E. M. O.; MORAES, S. de. Imprensa

periódica mato-grossense (1847-1969): Catálogo de microfilmes existentes no núcleo de documentação e informação histórica regional da UFMT. Cuiabá: Editora Universitária da UFMT, 1994.

CAMARGO, A. M. de A. A imprensa periódica como objeto de instrumento

de trabalho: catálogo da Hemeroteca Julio de Mesquita do Instituto

Histórico e geográfico de São Paulo. Tese de doutoramento (História).

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. 1975.

CAMPOS, R. D. Mulheres e crianças na imprensa paulista (1920-1940):

representação e história. Tese (Doutorado em Educação Escolar) –

Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2007.

CAPES. Estudos de desenvolvimento regional (Mato Grosso).Série

Levantamentos e Análises, vol 4, 1958.

CARVALHO, M. C. Apresentação. Educação no Brasil: história e

historiografia. Campinas, SP: Autores Associados: São Paulo: SBHE, 2001.

CARVALHO, M. M. C. de. A escola e a república: outros ensaios. Editora

Bragança Paulista, 2003.

CERTEAU, M. A escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes

Menezes. 2 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

CHARTIER, R. Formas e sentido: cultura escrita: entre distinção e

apropriação. Campinas, SP: Mercado de Letras, ALB. 2003.

CORDEIRO, J. P. F. A produção em História da Educação em três

periódicos: perspectivas comparadas. Anais do V Congresso Brasileiro de

História da Educação, Aracaju, SE, 2008 (referencia 698[1]).

CORREA FILHO, V. Questões de ensino: monografias cuiabanas. V 01.

São Paulo: Monteiro Lobato. 1925.

COSTA, L. & VIDAL, B.. História e evolução da imprensa brasileira. Rio

de Janeiro, 1940 (editado pela comissão organizadora da representação

brasileira à exposição dos centenários de Portugal.) consultado no CPDOC

da FGV, janeiro de 2011.

FANAYA, J. E. de A. Elites e Prática Políticas em Mato Grosso na

Primeira República (1889-1930). Cuiabá: EdUFMT – Fapemat, 2010.

FEDATTO, N. A. da S. F. Reflexões Preliminares Sobre a Produção em

História da Educação no Mato Grosso do Sul (1977-2006). Anais do V

Congresso Brasileiro de História da Educação. Aracaju, 2008.

FROTA PESSOA. Divulgação do ensino primário: Memória apresentada

em 1927 á Academia Brasileira de Letras – Prêmio Francisco Alves.

Livraria Editora Leste Ribeiro, FREITAS BASTOS & CIA: Rio de Janeiro,

HILSDORF, M. L. S. Da circulação para a circularidade: propagação e

recepção de idéias educacionais e pedagógicas no Oitocentos brasileiro. In: PINTASSILGO, J., FREITAS, M. C., MOGARRO, M. J. & CARVALHO,

M.M.C. História da escola em Portugal e no Brasil. Lisboa: Edições

Colibri, 2006, p. 65-88.

LEITE, G. Um século de instrução pública: história do ensino primário em

Mato Grosso. Goiás: Rio Bonito, 1970.

MARCILIO, H. História do ensino em Mato Grosso. Cuiabá: Secretaria de

Estado da Educação, 1963.

MENDONÇA, R. de. Evolução do ensino em Mato Grosso. Cuiabá, MT:

NADAF, Y. J. Rodapé das miscelâneas: o folhetim nos jornais de Mato

Grosso, Rio de Janeiro: 7Letras, 2002.

NADAF, Y. J. Sob o signo de uma flor. Rio e Janeiro: Sette Letras. 1993.

NAGLE, J. Educação e Sociedade na primeira república. 2ª. Ed. Rio de

Janeiro, RJ: DP&A editora. 2001.

NOVOA, A. (dir.) A imprensa de Educação e Ensino: repertório analítico

(século XIX-XX) Instituto de Inovação Educacional, 1993 (p. XV-LXII).

PINTO, A. A. DIÁLOGOS NO CERRADO: Contribuições da imprensa

periódica na organização do campo educacional em Mato Grosso no século XIX - encontros e confrontos. Anais do VIII Congresso Luso Brasileiro de História da Educação, São Luis do Maranhão, 2010.

RODRIGUES, M. B. Estado, Educação Escolar, Povo: A Reforma Matogrossense de 1910. Cuiabá: EdUFMT, 2009.

SÁ, E. F. de. Gustavo Fernando Kuhlmann: um bandeirante na cruzada da

instrução (1910-1930) Revista Educação Pública. V 18, n.38

(set/dez.2009)Cuiabá: EdUFMT, 2009. (p. 567-584).

SCHELBAUER A. R.; ARAUJO, J. C. S. (orgs.). História da Educação

pela imprensa. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

SILVA, E. F. de S. P. e. Escola Normal de Cuiabá: história da formação de

professores em Mato Grosso (1910-1916). Cuiabá, MT: Central de Texto:

EdUFMT, 2006 (Coleção coletânea educação e memória; v. 2).

SILVA, L. D. da. SIQUEIRA, E. M. 20 anos da pós-graduação em

Educação: avaliação e perspectivas. Revista Educação Pública. Cuiabá, v.

, n. 37, p. 329-350, maio/ago. 2009

SIQUEIRA, E. M. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias

atuais. Cuiabá, MT: Entrelinhas, 2002.

SIQUEIRA, E. M. PROJETO (CNPq/Norte): Preservando o patrimônio

cultural: arranjo, catalogação, informatização e microfilmagem do acervo

documental e bibliográfico da Casa Barão de Melgaço. Cuiabá/MT

(mimeo), 2004.

SIQUEIRA, E. M. Reconstituindo arquivos escolares: a experiência do

GEM/MT. Revista Brasileira de história da educação. nº 10, jul/dez 2005.

VALDEMARIN, V. T. Estudando lições de coisas. Campinas, SP: Autores

Associados, 2004.

VALDEMARIN, V. T. PINTO, A. A. Das formas de ensinar e conhecer o

mundo:lições de coisas e método de ensino intuitivo na imprensa periódica educacional do século XIX. Revista Educação em questão. Natal, Rio Grande do Norte: E(2010).

VIDAL, D. G.; HILSDORF, M. L. S.. Brasil 500 anos: tópicas em História

da Educação. 2001.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.