Os reflexos da educação superior pós-LDB de 1996: um foco nos cursos de graduação em enfermagem

Lourdes Missio, Márcia Maria Ribera Lopes, Rogerio Dias Renovato

Resumo


Na década de 1990 observou-se um intenso movimento de expansão das instituições de educação superior brasileiras, com destaque para as instituições privadas de ensino. Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais “Anísio Teixeira” – INEP revelam que os cursos de enfermagem também apresentaram a mesma característica. Este trabalho propõe-se a discorrer sobre como vem ocorrendo o processo de expansão da graduação de enfermagem no Centro-Oeste e sua relação com as reformulações curriculares ocorridas no setor. Como procedimentos metodológicos, foram utilizadas a pesquisa bibliográfica e a análise documental. Buscou-se delinear o histórico da educação superior em nosso país, destacando a rápida expansão dos cursos e a consequente massificação da educação superior, entre eles o do curso de graduação em enfermagem. Foi possível observar que o processo de expansão dos cursos desenvolveu-se em concomitância com a reorganização curricular proposta, adequando o ensino às políticas de saúde atuais. Assim, observa-se a força da mercantilização da educação superior, na qual as políticas de educação convergem-se com a lógica do mercado.

Palavras-chave


Educação Superior; Enfermagem; Currículo

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. CONASS. Atenção Primária e Promoção da Saúde. Brasília:

Conselho Nacional de Secretários de Saúde, 2007.

_______. INEP/MEC. A trajetória dos cursos de graduação na área da

saúde: 1991-2004 / Organizadores: Ana Estela Haddad ... [et al.]. – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2006a.

_______. Portaria nº 648, de 28 de março de 2006. Aprova a Política

Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União. Brasília, v. 143, n. 61, Seção 1, p.71-76, 2006b.

_______. Ministério da Saúde. Programa Saúde da Família. Brasília:

Ministério da Saúde, 2000.

_______. INEP/MEC. Sinopses Estatísticas da Educação Superior -

Graduação. Disp. em http://www. inep.gov.br/ superior/ censosuperior/

sinopse/. Acesso em 24 de abril de 2010a.

_______. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica – DAB.

Teto, credenciamento e implantação das estratégias de Agentes

Comunitários de Saúde, Saúde da Família e Saúde Bucal. Disp. em

http://dab.saude.gov.br/historico_cobertura_sf/historico_cobertura_sf_relatorio.php. Acesso em 12 de julho de 2010b.

______. Portaria GM/MS Nº 1.886, de 18 de dezembro de 1997. Aprova

normas e diretrizes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do

Programa de Saúde da Família. Diário Oficial da União. Brasília, nº 247, de 22 de dezembro de 1997, Seção 1, p. 11.

CATANI, A. M.; OLIVEIRA, J. F. A reforma da educação superior no

Brasil nos anos 90: diretrizes, bases e ações. In: CATANI, A. M.;

OLIVEIRA, R. P. (Orgs.). Reformas educacionais em Portugal e no Brasil.

Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

CATANI A. M.; OLIVEIRA, J. F. Educação superior no Brasil:

reestruturação e metamorfose das universidades públicas: Vozes, 2002.

CUNHA, L. A. Desenvolvimento desigual e combinado no ensino superior

– Estado e Mercado. Educação e Sociedade, v. 25, n. 88, p. 795 – 817, out. 2004.

DOURADO, L.F. Reforma do Estado e as políticas para a educação

superior no Brasil nos anos 90. Educação e Sociedade, v. 23, n. 80, p. 234-252, set. 2002.

GALLEGUILLOS, T. G. B. Avaliação da educação superior de

enfermagem na perspectiva da Comissão Assessora de Avaliação para a

Enfermagem – INEP. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, São

Paulo, 2007.

GALLEGUILLOS, T. G. B. OLIVEIRA, M. A. C. A gênese e o

desenvolvimento histórico do ensino de enfermagem no Brasil. Revista da

Escola de Enfermagem das USP, vol. 35, n. 1, p. 80-87, 2001.

LIMA, L.C.; AZEVEDO, M.L.N.; CATANI, A.M. O Processo de Bolonha,

a avaliação da educação superior e algumas considerações sobre a

Universidade Nova. Avaliação, Campinas, Sorocaba, v. 13, n. 1, p. 7-36,

MANCEBO, D. Reforma Universitária: reflexões sobre a privatização e a

mercantilização do conhecimento. Educação e Sociedade, v. 25, n. 88, p.

-866, 2004.

MARTINS, C. B. O ensino superior brasileiro nos anos 90. São Paulo

Perspec. [online]. Jan./Mar. 2000, vol.14, no.1. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392000000100006&lng=en&nrm=iso ISSN 0102-8839. Acesso em 28

fev 2006.

MICHELOTTO, R. M.; COELHO, R. H.; ZAINKO, M. A. S. A política de

expansão da educação superior e a proposta de reforma universitária do

governo Lula. Educar, Curitiba: Universidade Federal do Paraná, n. 28, p.

-198, 2006.

RENOVATO, R.D.; BAGNATO, M.H.S.; MISSIO, L.; BASSINELLO,

G.A.H. As identidades dos enfermeiros em cenários de mudanças

curriculares no ensino da Enfermagem. Trabalho, Educação e Saúde, v.7,

n.2, p. 231-248, 2009.

RISTOFF, D.; GIOLO, J. Educação Superior no Brasil – panorama geral.

Brasília: INEP, 2006.

RODRIGUES, R, M. Diretrizes curriculares para a graduação em

enfermagem no Brasil: contexto, conteúdo e possibilidades para a

formação. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de

Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

SILVA JUNIOR, J. R.; SGUISSARDI, V. Novas faces da educação

superior no Brasil. 2 ed. Bragança Paulista, SP: Cortez, USP-IFAN, 2001.

TEIXEIRA, E. et al. Trajetória e tendências dos Cursos de Enfermagem no

Brasil. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, v. 59, n. 4, p. 479-87,

jul./ago. 2006.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.