Bloqueios ao engajamento cívico crítico e ativo na/através da Ciência Escolar: Histórias do Campo

Larry Bencze, Sarah El Halwany, Minja Milanovic, Nadia Qureshi, Majd Zouda

Resumo


Por cerca de 50 anos, os educadores de ciências vêm promovendo a educação sobre as relações entre os campos da ciência, tecnologia, sociedades e ambientes ('CTSA'). Embora ajude os alunos a entender a inter- e/ou transdisciplinaridade da ciência e controvérsias relevantes, a educação CTSA geralmente parece muito apolítica. À luz das dificuldades de muitos governos em lidar com danos, como os causados pelas perturbações climáticas que parecem associadas às redes pró-capitalistas globais, parece claro que os educadores em ciências precisam incentivar e permitir que os alunos analisem criticamente as relações CTSA, desenvolvam e adotem ações para enfrentar danos que elas determinam. Embora os educadores tenham tido alguns casos bem sucedidos nesse sentido, eles geralmente são restritos a contextos relativamente raros. Entre os 'bloqueios' para o seu sucesso, parece que as abordagens de educação STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia & Matemática) e de aprendizagem baseada em investigação (IBL) são particularmente poderosas. Em nosso estudo relatado aqui sobre os esforços de quatro professores de ciências para incentivar/permitir o envolvimento cívico ativo e crítico, parece que, embora a educação STEM e a IBL continuam limitando, os professores comprometidos podem desenvolver abordagens inovadoras para alcançar esses objetivos.

Palavras-chave


Educação CTSA. Engajamento cívico crítico. Ativismo.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v9i25.11010

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.