A Analítica Bermaniana na tradução do humor dos coveiros de Hamlet.

Tiago Marques Luiz

Resumo


Muito pouco se tem publicado a respeito de produções acadêmicas destinadas ao estudo da tradução do humor; os estudos voltados para o humor estão ligados aos mecanismos lingüísticos – ou seja, algum aspecto da linguagem (como fonética, sintaxe, estilística) – de produção do humor. Da mesma forma que os estudos da tradução se consolidaram recentemente, o mesmo pode ser dito a respeito do estudo de tradução de humor. A tradução do humor está sujeita um conhecimento significativo do tradutor do assunto e da sua própria época, já que em determinado momento, faz-se necessário que o tradutor, por meio da sua imaginação e perspicácia, recrie determinadas passagens em função do entendimento contemporâneo do objeto cômico. O presente trabalho pretende analisar a conservação do humor em uma breve passagem da cena dos coveiros da peça A Tragédia de Hamlet: Príncipe da Dinamarca, de William Shakespeare, traduzida por Millôr Fernandes em 2011 e Carlos Alberto Nunes em 2011. A edição usada como original é a Oxford Shakespeare e a base teórica para este estudo se debruça nas tendências deformativas de Antoine Berman.

Palavras-chave


Tradução de Humor. Hamlet. Shakespeare.

Texto completo:

PDF

Referências


BARZOTTO, L. A. A tradução literária tecendo sua própria história. Acta

Scientiarum. Human and Social Sciences, Maringá, v. 29 n.1, p. 41-50, 30 de julho de 2007. Disponível em:

http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHumanSocSci/article/v

iew/135/62.

FAVERI, C. B. A tradução de Guimarães Rosa na França. Alea: Estudos

Neolatinos (Impresso), Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 264-277, 2009.

FERNANDES, M. Hamlet - a tradução. In: Revista 34 Letras, nº 3. Editora 34: Rio de Janeiro, 1989, pp. 76-80.

____________. Palavrões, usar ou não usar?. Disponível em:

http://www.ime.usp.br/~salles/home/textos/palavroes.htm

LEIBOLD, A. The Translation of Humor: Who Says It Can't Be Done?. Meta: journal des traducteurs / Meta: Translators' Journal, Montreal, v.34, n. 1, p. 109-111, 1989.

LIBERATTI, E.. Legendação de séries humorísticas: um estudo da tradução do humor na série americana Friends. 54 f. Monografia de Especialização em Língua Inglesa – Centro de Letras e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Londrina, 2009.

MARTINS, M. A. P. A instrumentalidade do modelo descritivo para a análise de traduções: O caso dos hamlets brasileiros. 1999. 318f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica). Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1999.

POSSENTI, S. Os Humores da Língua: Análises Lingüísticas de Piadas. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

QUEIROZ, B.R.B. Tradução de Humor: Limites e Possibilidades. Revista

Ao Pé da Letra, Pernambuco, Volume 9, p. 10-18, 2007. Endereço eletrônico: http://www.revistaaopedaletra.net/volumes/vol%209/Vol9-BiancaRodrigues-Bold.pdf. Acesso em 02 de Julho de 2011

ROSAS, M. Por uma teoria da tradução do humor. DELTA, São Paulo, v.19, n. spe, 2003. Endereço eletrônico:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-

&script=sci_arttext. Acesso em 02 de Julho de 2011.

SHAKESPEARE, W. Hamlet. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Rio de

Janeiro: Nva Fronteira, 2011.

____________. Hamlet. Tradução de Millôr Fernandes. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2011.

____________. Hamlet. In: JOWET, J.; MONTGOMERY, W.; TAYLOR, G;

WELLS, S. (eds). William Shakespeare – The Complete Works. The Oxford

Shakespeare. 2nd edition. United States: The Oxford University Press,

____________. Hamlet. Organizado por Jonathan Bate e Eric Rasmussen.

The RSC Shakespeare. Reino Unido: Palgrave McMillan, 2008. SILVA, W. G. A analítica bermaniana aplicada a uma tradução de Macbeth. Scientia Traductionis, Florianópolis, v. 3, p 1-9, 2006.

THEODOR, E. Tradução: Ofício e arte. São Paulo: Editora Cultrix, 1976.

VERMEER, H.J. Esboço de uma teoria de tradução. 1ª edição. Porto: Edições ASA, 1985.

ZIPSER, M. E.; FRENKEL, E.; POLCHLOPEK, S. A.. Estudos da tradução I -

Letras Espanhol. 1ª edição. Florianópolis: Editora da UFSC, 2009.




DOI: https://doi.org/10.30612/arredia.v1i1.1661

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.