Gênero, masculinidades e espaço carcerário na experiência de homens em Ponta Grossa, Paraná

Dimas Diego Gontarek, Joseli Maria Silva, Marcio Jose Ornat, Fernando Bernati Gomes

Resumo


O artigo tem como objetivo compreender as significações das experiências carcerárias criadas por homens, ex-detentos do sistema prisional em Ponta Grossa, Paraná. Para atingir o objetivo foram realizados levantamentos de dados quantitativos sobre a realidade carcerária no município, a partir dos relatórios de 2014, 2015 e 2016 elaborados pelo Núcleo de Estudo e Acompanhamento das Execuções de Pena na Vara de Execuções Penais na Comarca de Ponta Grossa, bem como os levantamentos de 2014 e 2016 do sistema de Informações Penitenciárias (INFOPEN). Os dados qualitativos foram construídos por meio de sete entrevistas em profundidade com homens que passaram pelo sistema penitenciário e que voluntariamente se engajaram na pesquisa. Os discursos dos colaboradores foram sistematizados por meio de análise de conteúdo, como proposta por Bardin (1977). Durante o cotidiano do cárcere eles constituem sociabilidades e regras próprias que reorganizam suas masculinidades de forma complementar e contraditória com as normas hegemônicas.


Palavras-chave


cárcere; masculinidades; gênero; espaço

Texto completo:

PDF_8970

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

ARRUDA, R. F. de. Por uma Geografia do Cárcere - Territorialidades nos Pavilhões do Presídio Professor Aníbal Bruno em Recife – PE. Dissertação de Mestrado. Recife. Universidade Federal do Pernambuco. 2006;

BARDIN, Lawrence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 1977.

BELL, David; VALENTINE, Gill. Mapping desire: geographies of sexualities. London: Routledge, 1995.

BELL, David; BINNIE, Jon; HOLLIDAY, Ruth; LONGHURST, Robyn. Pleasure zones: bodies, cities, spaces. New York: Syracuse University Press, 2001.

BERG, Lawrence D.; LONGHURST, Robyn. Placing Masculinities and Geography, Gender, Place and Culture, v. 10, n. 4, p. 351-360. 2003.

BERNARDT, Clemens; VAN HOVEN, Bettina; HUIGEN, Paulus. Tracing Memories in Border-Space in Carceral Spatiality. In: MORAN, Dominique; SCHLIEHE Anna. Carceral Spatiality: Dialogues between Geography and Criminology. London: Palgrave Macmillan, 2017, p. 201 - 236.

BINNIE, Jon; LONGHURST, Robyn; PEACE, Robin. Upstairs/downstaits – Place matters, bodies matter. In: BELL, David; BINNIE, Jon; HOLLIDAY, Ruth; LONGHURST, Robyn. Pleasure zones: bodies, cities, spaces. New York: Syracuse University Press, 2001, p. vii - xiv.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CHIMIN JUNIOR, Alides Baptista. O espaço como componente a vulnerabilidade aos atos infracionais desenvolvidos por adolescentes do sexo masculino em conflito com a lei em Ponta Grossa – Paraná. Dissertação de Mestrado, 2009. Universidade Estadual de Ponta Grossa. 152 p.

CONNELL , ROBERT W. Masculinities. Berkeley: University of California Press, 1995.

CREWE, Ben; WARR, Jason; BENNETT, Peter; SMITH, Alan. The emotional geography of prision life. Theoretical Criminology, v. 18, n. 1, p. 56 - 74, 2013.

FIORAVANTE, K. E. O espaço carcerário e a reestruturação das relações sócio-espaciais cotidianas de mulheres infratoras na cidade de Ponta Grossa, Paraná. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, Vozes, 1999 [1987].

GILL, Nick; COLON, Deirdre; MORAN, Dominique; BURRIDGE, Andrew. Carceral circuitry: New directions in carceral geography. Progress in Human Geography, v. 42, n. 2, p. 183 - 204, 2018.

GOMES, Fernando Bertani. “Cenas Embaçadas”: a relação entre as espacialidades vivenciadas por jovens do sexo masculino e a morte por homicídio na cidade de Ponta Grossa, Paraná. Dissertação (Mestrado em Gestão do Território) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2013.

GOMES, Fernando Bertani. Necropolíticas Espaciais e a Instituição de Masculinidades de Jovens Homens envolvidos na Violência Homicida na Cidade de Ponta Grossa, Paraná. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2018.

HÖRSCHELMANN, Kathrin; VAN HOVEN, Bettina. Spaces of Masculinities. London: Routledge: 2005.

HOPKINS, Peter; NOBLE, Greg. Masculinities in place: situated identities, relations and intersectionality. Social & Cultural Geography, v. 10, n. 8, p. 811 – 819, 2009.

INFOPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Brasília: Ministério da Justiça, 2017.

JACKSON, Peter. The cultural politics of masculinity: towards a social geography. Transactions of the Institute of British Geographers, v. 16, n. 2, p. 199-213, 1991.

JACKSON, Peter. Black male: Advertising and the cultural politics of masculinity. Gender, Place and Culture, v. 1, n. 1, p. 49 – 60, 1994.

JOHNSTON, Lynda; LONGHURST, Robyn. Space, place and sex: geographies of sexualities. Rowman & Littlefield: Lanham, 2010.

LONGHURST, Robyn. (Dis)embodied geographies. Progress in Human Geography, v. 21, n. 4, p. 486 - 501, 1997.

LONGHURST, Robyn. Geography and gender: masculinities, male identity and men. Progress in Human Geography, v. 24, n. 3, p. 439 - 444, 2000.

LONGHURST, Robyn. Bodies: exploring fluid boundaries. London: Routledge, 2001.

LONGHURST, Robyn. Maternities: gender, bodies and space. London: Routledge, 2008.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona Editora. 2014.

MBEMBE, Achille. Necropolitics. Public Culture, v. 15, n. 1, p. 11 – 40, 2003.

MCDOWELL, Linda. Respect, deference, respectability and place: What is the problem with/for working class boys? Geoforum, v. 38, n. 2, p. 276–286, 2007.

MCDOWELL, Linda. Men, management and multiple masculinities in organisations. Geoforum, v. 32, n. 2, p. 181 -198, 2001.

MCDOWELL, Linda. Masculine discourses and dissonances: strutting `lads', protest masculinity, and domestic respectability. Environment and Planning D: Society and Space, v. 20, n. 1, p. 97 – 119, 2002.

MCDOWELL, Linda. Redundant Masculinities: Employment Change and White Working Class Youth. Malden: Blackwell Publishing, 2003.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: HUCITEC, 2000.

MORAN, Dominique. Carceral Geography: Spaces and Practices of Incarceration. Farnham: Ashgate, 2015.

MORAN, Dominique; SCHLIEHE Anna. Carceral Spatiality: Dialogues between Geography and Criminology. London: Palgrave Macmillan, 2017.

ONU. Report Visit to Brazil undertaken from 19 to 30 October: observations and recommendations addressed to the State party, 2016. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2017/01/Relatorio-SPT-2016-1.pdf. Acesso em: 01/09/2018.

PILE, Steve. The body and the city: psychoanalysis, space and subjectivity. New York: Routledge, 1996.

PILE, Steve; THRIFT, Nigel. Mapping the Subject: Geographies of Cultural Transformation. London: Routledge, 1995.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, n. 3, p. 3 - 15, 1989.

ROCHA, Heder Leandro. ‘Espaço Espiado’: O uso de crack como um elemento das espacialidades vivenciadas por adolescentes do sexo masculino em Ponta Grossa – PR. Dissertação (Mestrado em Gestão do Território) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2013.

ROCHA, Heder Leandro. 'Não dá nada, se der, dá pouco': o 'espaço espiado' dos adolescentes do sexo masculino, usuários de crack em Ponta Grossa – PR. Revista Latino-Americana de Geografia e Gênero, v.5, n.1, p. 25 - 46, 2014.

ROSSI, Rodrigo. “Malucos da quebrada”: territórios urbanos na complexidade espacial cotidiana dos adolescentes homens em conflito com a lei em Ponta Grossa – Paraná. Dissertação (Mestrado em Gestão do Território) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2010.

ROSSI, Rodrigo. Masculnidades e interseccionalidade na vivência de territórios instituídos

por adolescentes em conflito com a lei. In: SILVA, Joseli Maria; ORNAT, Marcio Jose; CHIMIN JUNIOR, Alides Bptista. Espaço, gênero & masculinidades plurais. Ponta Grossa: Todapalavra, 2011, p. 125 - 191.

ROSSI, Rodrigo. Espacialidade Carcerária e a instituição de masculinidades entre homens jovens egressos em Ponta Grossa, Paraná. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2017.

SÁ, Celso Pereira de. A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

SILVA, Joseli Maria; ORNAT, Marcio Jose; CHIMIN JUNIOR, Alides Baptista. Espaço, gênero & masculinidades plurais. Ponta Grossa: Todapalavra, 2011.

SILVA, Joseli Maria; ORNAT, Marcio Jose. Corpo como espaço: um desafio à imaginação geográfica. In: PIRES, Cláudia Zeferino, HEIDRICH, Álvaro Luiz e COSTA, Benhur Pinós da. Plurilocalidades do sujeito: representações e ações no território. Porto Alegre: Compasso Lugar-Cultura, 2016. p. 56-75.

SMITH, Neil. Contours of a spatialized politics: homeless vehicles and the production of geo-graphical scale. Social Text, n. 33, p. 55 – 81, 1992.

SMITH, Neil. Homeless/global: Scaling places. In: BIRD, Jon, CURTIS, Barry, PUTNAM, Tim, ROBERTSON, George and TICKNER, Lisa (eds). Mapping the Futures: Local Cultures, Global Change. London: Routledge, 1993, p. 87 – 119.

TURNER, Jennifer. The Prison Boundary: Between Society and Carceral Space. London: Palgrave Macmillan, 2016.

VASCOLCELOS, T. S. de. Entre territórios do cárcere, de contenção e lugares de vida: uma Microgeografia. Dissertação de Mestrado. PUC-Rio de Janeiro. 2010.

ZOMIGHANI, J. H. Junior. Território Ativo e Esquizofrênico: Prisão e Pena Privativa de Liberdade no Estado de São Paulo. Dissertação de Mestrado. USP. 2009.




DOI: https://doi.org/10.5418/RA2018.1425.0004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

 

 

 

 


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.