O MITO DA CAPITAL DAS NAÇÕES: CURITIBA E A IMIGRAÇÃO – O CASO DOS ITALIANOS.

Rosana Zafalon

Resumo


Nas últimas décadas, tem sido reproduzido através do marketing político, um discurso de valorização étnica na cidade de Curitiba, retomando a antiga discussão sobre as características singulares que formam a identidade local, típica do paranismo do início do século passado. No entanto, esse discurso agora se materializa na forma de símbolos espalhados pela cidade, o que tende a solidificar essa imagem entre a população. Mas ao contrário do que se possa pensar em primeiro momento, os grupos étnicos valorizados são apenas aqueles que se encaixam na imagem europeia de Curitiba, como por exemplo, os italianos, o que tornam negros e índios, embora tenham em muito contribuído para a formação dessa sociedade, invisíveis nesse espaço. Por sua vez, o discurso identitário sobre a imigração italiana tem sido também aproveitado para fomentar o turismo rural na Região Metropolitana de Curitiba. 


Palavras-chave


Imigração; Curitiba; identidade; italianos; turismo rural.

Referências


ABRAMOVAY, Ricardo. Ruralidade e desenvolvimento territorial. Gazeta Mercantil, 2001.

ALVIM, Zuleika M.F. Brava Gente! Os Italianos em São Paulo (1870-1920). Brasiliense: 1986.

BALHANA, Altiva Pilatti. Política imigratória do Paraná. Rev. parana. desenvolv., Curitiba, n. 87, jan/abr 1996, p. 39-50.

CORONA, Hieda Maria Pagliosa. A agricultura familiar na RMC: um olhar sobre a relação ambiente e sociedade a partir da comunidade de Mergulhão. REDES, Santa Cruz do Sul, v. 16, n. 3, p. 138 – 156, set/dez. 2011.

GRAZIANO DA SILVA, José. O novo rural brasileiro. Campinas: UNICAMP, 1999.

GRAZIANO DA SILVA, José. Quem precisa de uma estratégia de desenvolvimento. In: NEAD. José Graziano, Jean Marc e Bianchini debatem “O Brasil rural precisa de uma estratégia de desenvolvimento”. Brasília: MDA/CNDRS/NEAD, 2001.

GUTIÉRREZ, Horacio. Crioulos e africanos no Paraná, 1798-1830. Revista Brasileira de História. São Paulo, 8 (16) : 161-188, mar./ago. 1988.

MACHIOSKI, F. L. A preservação da identidade cultural em um grupo imigrante italiano Curato de Colombo, Paraná, 1888-1910. Monografia de Conclusão de Curso (Bacharelado em História). Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2004. 87p.

MACHIOSKI, F. L. Colonos morigerados e laboriosos: o papel da imigração italiana no Paraná. Círculo de Estudos (PUCPR), v.22, 2008.

MORAES, P.R. Bodê de.; SOUZA, M. Garcia de. Invisibilidade, preconceito e violência racial em Curitiba. Revista de Sociologia e Política, n.13, p.7-16, nov.1999.

MOTA, L. T. As guerras dos índios Kaingang: a história épica dos índios Kaingang no Paraná (1769-1924). Maringá: Eduem, 2008. Disponível em:

http://www.dhi.uem.br/laee/uploads/downloads/as-guerras-dos-indios-kaingang--2009_1437774532.pdf. Acesso: out.2018.

OLIVEIRA, M. de. Imigração e diferença em um estado do sul do Brasil: o caso do Paraná, 2007. Nuevo Mundo, Mundo Nuevos, 2007. Disponível em: . Acesso em: mai. 2017.

PRIORI, A., et al. História do Paraná: séculos XIX e XX [online]. Maringá: Eduem, 2012. A imigração. pp. 35-46.

REIS, Eligia Cristine.; RODRIGUES, Isabel Cristina. Etnocentrismo: diversidades indígenas no Paraná. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE 2016. Curitiba: SEED/PR., 2016. V.1. (Cadernos PDE). Disponível em: . Acesso em: 10/10/18. ISBN 978-85-8015-093-3.

SALTURI, Luis Afonso. Paranismo, movimento artístico do sul do Brasil no início do século XX. Perifèria, n.11, dez. 2009.

SCHNEIDER, S. A importância da pluriatividade para as políticas públicas no Brasil. Revista de Política Agrícola. Ano XVI. n. 3. Rio Grande do Sul: 2007.

STOLLMEIER, L. A.; OLIVEIRA, M. de. Indústria Curitibana e Imigração – O esboço de uma anatomia política do detalhe (1830-1930). Cadernos OBMigra, v.1, n.3, 2015.

VIACAVA, V. M. R. Em busca de Curitiba perdida: a construção do habitus curitibano. In: XII Simpósio Internacional Processo Civilizador: Civilização e Contemporaneidade, nov.2009, Recife-PE. Anais do XII Simpósio Internacional Processo Civilizador: Civilização e Contemporaneidade. Recife, 2009.

WANDERLEY, Maria N. B. Raízes históricas do campesinato no Brasil. In: TEDESCO, João C. (Org.) Agricultura familiar: realidades e perspectivas. Passo Fundo: EDIUPF, 1999. p. 23-56.

ZAFALON, Rosana. O potencial do Programa Vilas Rurais na promoção do desenvolvimento rural. Revista da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (Anpege), p.343-371, v.11, n.16, jul-dez.2015.




DOI: https://doi.org/10.5418/RA2019.1527.004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

 

 

 

 


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.