As paisagens da Serra de Maracaju/MS-Brasil, quando o olhar e a cartografia revelam o potencial do turismo de natureza.

Bruno de Souza Lima, Charlei Aparecido da SILVA, Marcos Norberto Boin

Resumo


A Serra de Maracaju, relevante formação de relevo encontrada na faixa central do estado de Mato Grosso do Sul, historicamente apresentou relações com as dinâmicas territoriais que foram e ainda são impostas ao longo de sua extensão, as quais modificaram sua paisagem, onde, destacam-se nesse cenário a pecuária e a agricultura, práticas as quais foram intensificadas principalmente a partir dos anos 1980. Pressões advindas dessas dinâmicas territoriais exercem impactos nos elementos naturais que compõem a paisagem, gerando e intensificando processos que levam a perda de vegetação nativa, erosões do solo, contaminação dos recursos hídricos, entre outros. Nesse contexto entendendo o turismo de natureza, enquanto uma atividade socioeconômica menos impactante, isso quando comparada com as práticas citadas anteriormente, o presente artigo objetiva discutir e demonstrar a importância do olhar empreendido nos trabalhos de campo e a construção do projeto cartográfico para a aferição das paisagens da Serra de Maracaju, visando diagnosticar suas potencialidades para o turismo de natureza. Neste sentido, apresenta-se a área de estudo, os procedimentos, as técnicas e os materiais utilizados nos trabalhos de campo, as fontes de dados e softwares utilizados na construção cartográfica. Discorre-se sobre a importância da determinação de pesos para os elementos referentes a cada temática trabalhada, litologia, relevo, declividade e vegetação, informações essenciais utilizadas na criação da carta de potencialidades. A adotada metodologia permitiu analisar as paisagens encontradas ao longo da área de estudo, propiciou categorizar componentes e diferentes níveis de potencialidade para o turismo de natureza.  A carta de potencialidades deu condições de evidenciar dois fragmentos de alta potencialidade, um localizado na face norte e outro na porção sul da área de estudo. De fato a investigação possibilitou observar a importância da integração entre trabalhos de campo e a escolha metodológica-técnica tendo na cartografia um elemento central na determinação de cartas de potencialidades turísticas.

Texto completo:

PDF_6850

Referências


ALMEIDA, M. Matriz de avaliação do potencial turístico de localidades receptoras. 2006. 234p. Tese (doutorado) Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

AMARAL, Rosangela do; ROSS, Jurandyr Luciano Sanches. As unidades ecodinâmicas na análise da fragilidade ambiental do Parque Estadual do Morro do Diabo e entorno, Teodoro Sampaio/SP. GEOUSP: Espaço e Tempo (Online), n. 26, p. 59-78, 2009.

AZEVEDO, Rodrigo Medeiros de; STEINKE, Valdir Adilson; LEITE, Cristina Maria Costa. A Fotografia como recurso lúdico para o ensino de Geografia. IN: STEINKE, Valdir Adilson; REIS JUNIOR, Dante Flávio; COSTA, Everaldo Batista (Orgs.). Geografia & Fotografia: apontamentos teóricos e metodológicos. Brasília: Laboratório de Geoinconografia e Multimídias – LAGIM, UnB, 2014. 225p.

CASTRO, Iná Elias de. Paisagem e turismo. De Estética, nostalgia e política. IN: YÁZIGI, Eduardo. (Org.). Turismo e paisagem. São Paulo: Editora Contexto, 2002.

CEBALLOS-LASCURÁIN, H. Tourism, ecotourism and protected areas: the state of nature-based tourism around the world and guidelines for its development. Cambridge: IUCN, 1996.

COLAVITE, Ana Paula; BARROS, Mirian Vizintim Fernandes. Geoprocessamento aplicado a estudos do caminho do Peabiru. Revista da ANPEGE, v. 5, p. 86 - 105, 2009. Disponível em: . Acesso em: 29 de dezembro de 2016.

CRUZ, Rita de Cássia Ariza de. As paisagens artificiais criadas pelo turismo. IN: YÁZIGI, Eduardo. (Org.). Turismo e paisagem. São Paulo: Editora Contexto, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTASTÍSTICA (IBGE). Manual Técnico em Pedologia. Rio de Janeiro: IBGE, Manuais Técnicos em Geociências, 2. Ed., 2007. 316 p.

______. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, Manuais Técnicos em Geociências, 2012. 271 p.

JUSTINIANO, E. Registro fotográfico. In: VENTURI, Luis. (Org.). Praticando geografia: técnicas de campo e laboratório. São Paulo: Oficina de Textos, 2005.

LACERDA FILHO, Joffre Valmório de; BRITO, Reinaldo Santana Correia de; SILVA, Maria da Glória da; OLIVEIRA, Cipriano Cavalcante de; MORETON, Luiz Carlos; MARTINS, Edson Gaspar; LOPES, Ricardo da Cunha; LIMA, Thiers Muniz; LARIZZATTI, João Henrique; VALENTE, Cidney Rodrigues. Geologia e Recursos Minerais do Estado de Mato Grosso do Sul. Esc. 1: 1.000.000. (Convênio CPRM/SICME). Campo Grande: CPRM, 2006. 121 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. - São Paulo: Atlas 2003.

LENO CERRO, Francisco. La evaluación del potencial turístico en un proceso de planificación: el Canal de Castilla. Estudios Turísticos, Madrid, n.116, p. 49-85, 1992. Disponível: . Acesso em: 02 de janeiro de 2017.

LIMA, Bruno de Souza Lima. Paisagens da Serra de Maracaju e suas potencialidades para o turismo de natureza. 2017. 311 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2017.

LIMA, Bruno de Souza Lima; SILVA, Charlei Aparecido da; EICHENBERG, Fábio Orlando. O turismo de natureza como alternativa de conservação da Serra de Maracaju-MS. IN: XVI Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada. 2015, Teresina-PI. Anais... Teresina-PI: Universidade Federal do Piauí, Programa de Pós-Graduação em Geografia – PPGGEO/UFPI, 2015. p. 3818-3825.

LIMA, Bruno de Souza; SILVA, Charlei Aparecido da; MARTINS, Patrícia Cristina Statella. Paisagens e turismo de natureza: potencialidades na Serra de Maracaju-MS/Brasil. IN: IX Seminário Latino-Americano e V Seminário Ibero-Americano de Geografia Física. 2016, Guimarães-PT. Anais... Guimarães-PT: Universidade do Minho. UMDGEO – Departamento de Geografia, 2016. p. 755-767.

LINS, Cláudia; STEINKE, Valdir Adilson. Notas Introdutórias para a Produção Fotogeográfica. IN: STEINKE, Valdir Adilson; REIS JUNIOR, Dante Flávio; COSTA, Everaldo Batista (Orgs.). Geografia & Fotografia: apontamentos teóricos e metodológicos. Brasília: Laboratório de Geoinconografia e Multimídias – LAGIM, UnB, 2014. 225p.

LOHMANN, Guilherme; PANOSSO NETTO, Alexandre. Teoria do turismo: conceitos, modelos e sistemas. Série turismo. São Paulo: Aleph, 2008.

MACEDO, Sílvio Soares. Turismo, paisagem e litoral.. IN: YÁZIGI, Eduardo. (Org.). Turismo e paisagem. São Paulo: Editora Contexto, 2002.

MATO GROSSO DO SUL. Zoneamento ecológico econômico – Mato Grosso do Sul: Contribuições técnicas, teóricas, jurídicas e metodológicas. Vol. III. Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, 2009. Disponível em: . Acesso em: 09 de janeiro de 2017.

MCKERCHER, Bob. Turismo de Natureza: Planejamento e Sustentabilidade. São Paulo: Contexto, 2002.

PUNTEL, Geovane Aparecida. A paisagem na geografia. In: VERDUM, Roberto; VIEIRA, Lucimar de Fátima dos Santos; PINTO, Bruno Fleck; SILVA, Luis Alberto Pires da (org.). Paisagem: leituras, significados e transformação. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V.; CAVALCANTI, A. P. B. Geoecologia das Paisagens: uma visão geossistêmica da análise ambiental. Fortaleza: Edições UFC, 2007.

ROSA, Roberto. Análise espacial em geografia. Revista da ANPEGE, v. 7, n. 1, número especial, p. 275-289, out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 31 de dezembro de 2016.

ROSS, Jurandyr Luciano Sanches. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais antropizados. Revista do departamento de geografia, v. 8, p. 63-74, 2011.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo. Razão e Emoção. 4. ed. 2. reimpr. - São Paulo: Editorada Universidade de São Paulo, 2006.

SANTOS, Rosely Ferreira dos. Planejamento ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004

SILVA, Charlei Aparecido da. Análise sistêmica, turismo de natureza e planejamento ambiental de Brotas: proposta metodológica. 2006. 270 f. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

SILVA, Francisco António dos Santos da. Turismo na natureza como base do desenvolvimento turístico responsável nos Açores. Doutoramento em Geografia - Planeamento Regional e Urbano, Universidade de Lisboa - Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Lisboa, 2013.

SILVEIRA, E. L. D. . Paisagem: um conceito chave em Geografia. In: EGAL- 12º Encontro de Geógrafo da América Latina, 2009, Montevidéo. EGAL2009, 2009. Disponível em: . Acesso em: 29 de dezembro de 2016.

SOARES, J. G.; CARDOZO, P. F. Metodologia para aferimento de potencialidade turística: um estudo de caso. Revista Espaço Acadêmico. Nº128. Maringá, 2012. Disponível em: . Acesso em 31/ de dezembro de 2016.

SOLDATELI, Márcio. Impactos Ambientais Negativos no Contexto do Turismo de Natureza. In: TRIGO, L. G. G.; PANOSSO NETTO, A.; CARVALHO, M. A.; (Eds.) Análises regionais e globais do turismo brasileiro. São Paulo: Roca, 2005. p. 517-535.

TSILFIDIS, P; SOARES FILHO, A. Uso do Geoprocessamento para Pré-delimitação de Unidade de conservação: Um Estudo de Caso na Serra de Maracajú-MS. In: 12 Encuentro de Geógrafos da América Latina, Montevideo. Anais do 12 Encuentro de Geógrafos de América Latina, 2009. Disponível em:

http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal12/Nuevastecnologias/Teledeteccion/17. Acesso em: 15 de fevereiro de 2017.

URRY, John. O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. Tradução Carlos Eugênio Marcondes de Moura. 3ª ed. Coleção megalópolis – São Paulo: Sudio Nobel, SESC, 2001.

VERDUM, Roberto. Perceber e conceber paisagem. In: VERDUM, Roberto; VIEIRA, Lucimar de Fátima dos Santos; PINTO, Bruno Fleck; SILVA, Luis Alberto Pires da (org.). Paisagem: leituras, significados e transformação. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

YÁZIGI, Eduardo. A importância da paisagem. IN: YÁZIGI, Eduardo. (Org.). Turismo e paisagem. São Paulo: Editora Contexto, 2002.

ZAVATTINI, J. A. As chuvas e as massas de ar no estado de Mato Grosso do Sul: estudo geográfico




DOI: https://doi.org/10.5418/RA2018.1425.0001

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

 

 

 

 


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.