A ESPACIALIZAÇÃO DA CULTURA E AS TERRITORIALIDADES QUILOMBOLAS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL

Camila Silva Pereira, Francisca Elizonete de Souza Lima

Resumo


Os estudos culturais passaram a ter maior espaço na Geografia após a consolidação da geografia cultural enquanto vertente de pesquisa que trata da análise das relações do homem no/com o espaço a partir dos significados atribuídos a este. De modo específico, estudos que abrangem a discussão acerca de comunidades tradicionais quilombolas e as diversas dimensões possíveis de serem analisadas, vêm ganhando espaço na Geografia nas últimas décadas. Compreender as aberturas da geografia cultural para o entendimento da espacialização dos fenômenos culturais e a manutenção das territorialidades quilombolas em comunidades dessa natureza, constitui o objetivo deste trabalho. A discussão está centrada no reconhecimento das representações simbólicas dos grupos tradicionais quilombolas, analisando-as em seu conteúdo político de permanência, mudanças e reafirmações na sociedade, de modo que a cultura dos grupos quilombolas do estado do Rio Grande do Norte seja percebida em contextos territoriais que, no entanto, não a desligam da lógica da cultura em uma contiguidade espacial.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.