“QUERO TE CONTAR O QUE APRENDI...” NARRATIVAS DE FORMAÇÃO E DE APRENDIZAGENS DA/NA/SOBRE A DOCÊNCIA

Jussara Fraga Portugal

Resumo


Neste artigo intenciono partilhar reflexões decorrentes da análise interpretativa-compreensiva de narrativas de formação de quinze professores, graduandos em Geografia na Universidade do Estado da Bahia – UNEB/Campus XI, no semiárido da Bahia, referentes às aprendizagens da/na e sobre a docência. Trata-se de um recorte da pesquisa Trajetórias de aprendizagem da docência em Geografia: narrar, formar e iniciar, cuja questão norteadora foi: como os professores de Geografia em formação inicial, bolsistas de iniciação à docência, concebem as aprendizagens da/na/sobre a docência a partir de situações experienciadas no âmbito do subprojeto Formação docente e Geografia Escolar: das práticas e saberes espaciais à construção do conhecimento geográfico? As narrativas escritas, grafadas nos memoriais e nos diários de formação e, as orais, recolhidas mediante a realização de entrevistas narrativas revelaram episódios nas trajetórias de vida-escolarização-formação e evidenciaram as contribuições das situações formativas experienciadas no devir das ações do subprojeto e suas implicações no tornar-se professor.


Palavras-chave


Narrativas. Formação de Professores de Geografia. PIBID. Aprendizagem da/na/sobre a docência.

Texto completo:

PDF_1528-008

Referências


ALMEIDA, R. D. de. PASSINI, E. Y. O espaço geográfico: ensino e representação. 5. ed. São Paulo: Contexto, 1994.

BATISTA, M. D. M. B.; OLIVEIRA, S. de; PORTUGAL, J. F. Formação docente e Geografia escolar: das práticas e saberes espaciais à construção do conhecimento geográfico. Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência. Edital CAPES 061/2013. Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Campus XI, Serrinha-BA, 2013. 23 p. Digitalizado.

BERTAUX, D. Narrativas de vida: a pesquisa e seus métodos. Tradução de Zuleide Alves Cardoso Cavalcante e Denise Maria Gurgel Lavallée. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2010. 167 p.

CARRILHO, M. F. et al. Diretrizes para a elaboração do Memorial de Formação. Metodologia do trabalho científico. Natal: IFP/URRN, 1997. Mímeo.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Pibid – Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Brasília, DF, 2008. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2016.

DOMINICÉ, P. O que a vida lhes ensinou. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. (Orgs.). O método (auto) biográfico e a formação. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010. p. 189-222.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução de Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

HESS, R. Momento do diário e diário de momentos. In: SOUZA, E. C. de.; BARRETO, M. H. M. (Org.). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006. p. 89-103.

JOVCHELOVITCH, S.; BAUER, M. W. Entrevista narrativa. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho Guareschi. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. p. 90-113.

PASSEGGI, M. da C. Memoriais auto-bio-gráficos: a arte profissional de tecer uma figura pública de si. In: PASSEGGI, M. C.; BARBOSA, T. M. N. (Org.). Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008a. p. 27-42.

PASSEGGI, M. da C. Memoriais: injunção institucional e sedução biográfica. In: PASSEGGI, M. da C.; SOUZA, E. C. de. (Org.). (Auto)Biografia: formação, territórios e saberes. São Paulo: Paulus; Natal: EDUFRN, 2008b. p. 103-131.

PASSEGGI, M. da C.; BARBOSA, M. N. Memórias, Memoriais: o que há de memorável? In: PASSEGGI, M. da C.; BARBOSA, T. M. N. (Org.). Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. p. 15-24.

PASSINI, E. Y. Alfabetização cartográfica e o livro didático. Belo Horizonte: Lê, 1994.

PORTUGAL, J. F. “Quem é da roça é formiga!”. Histórias de vida, itinerâncias formativas e profissionais de professores de geografia de escolas rurais. 2013. 352. f. Tese (Doutorado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2013. Disponível em: http://www.cdi.uneb.br/pdfs/teses/2013/0109141653.pdf. Acesso em: 12 mar. 2019.

PRADO, G. do V. T.; SOLIGO, R.. Memorial de Formação: Quando as memórias narram a história da formação... In: PRADO, G. do V. T.; SOLIGO, R. (Orgs.). Porque escrever é fazer história. Revelações, subversões, superações. Campinas, SP: Alínea, 2007. p. 45-59.

RICŒUR, P. Teoria da interpretação: o discurso e o excesso de ignificação. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1976.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

SOUZA, E. C. de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. In: Revista Educação UFSM. Santa Maria, v. 39 | n. 1 | p. 39-50 | jan./abr. 2014.

SOUZA, E. C. de. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A; Salvador: EdUNEB, 2006.

SOUZA, E. C. de. CORDEIRO, V. M. R. Por entre escritas, diários e registros de formação. Revista de Educação. CEAP, v. 2, p. 44-49, 2007.

SCHÜTZE, F. Pesquisa biográfica e entrevista narrativa. In: WELLER, W.; PFAFF, N. (Orgs.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: Teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 2010. p. 210-222.

SUÁREZ, D. H. Documentación Narrativa de Experiencias Pedagógicas: indagaciónformación-acción entre docentes. In: PASSEGGI, M. da C.; SILVA, V. B. da. (Orgs.). Invenções de vida, compreensão de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 181-204.

SUÁREZ, D. H. Documentación narrativae investigación-formación-acción en educación. In: SOUZA, E. C. de. (Org.). (Auto)biografias e documentação narrativa: redes de pesquisa formação. Salvador: EDUFBA, 2015, p.63-85.

SUÁREZ, D. H. Escribir, leer y conversar entre docentes en torno de relatos de experiência. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 01, n. 03, p. 480-497, set./dez. 2016.

SUÁREZ, D. H. Relatar la experiencia docente. La documentación narrativa del mundo escolar. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 18, n. 50, p. 193-209, jul./set. 2017. Conversas sobre formação de professores, práticas e currículos.

WELLER, W. Tradições hermenêuticas e interacionistas na pesquisa qualitativa: a análise das narrativas segundo Fritz Schütze. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 32., 2009, Caxambu, MG. Anais... Caxambu, MG: ANPEd, 2009. p. 1-16.

ZABALZA, M. A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Tradução de Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2004.




DOI: https://doi.org/10.5418/RA2019.1528.0008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

 

 

 

 


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.