Deposição de sêmen congelado em ovelhas nativas pela técnica transcervical

Monreal Antonio Carlos Duenhas Monreal, Charles Ferreira Martins, Albert Shiaveto de Souza, Denner Santos dos Anjos

Resumo


A penetrabilidade do canal cervical de fêmeas da espécie ovina no momento da inseminação artificial apresenta inúmeras dificuldades. A proposta do presente experimento foi verificar a porcentagem de penetrabilidade e localização da deposição do sêmen no aparelho reprodutor feminino de ovelhas nativas em relação à idade criadas em Mato Grosso do Sul. Foram utilizadas 311 ovelhas sincronizadas com CIDR® por nove dias e 300UI de eCG 48h antes da retirada do mesmo. Observou-se que fêmeas com dois anos de idade apresentaram taxa de penetração intrauterina de 38,2%, taxa superior comparada em ovelhas com 3,5 e 4,5 anos de idade. Houve deposição no vestíbulo da vagina com 26,4, 44,6, 44,0 e 45,3%, para fêmeas com até 2; 3,5; 4,5; e 6 anos de idade, respectivamente. As taxas de prenhez obtidas foram: 20,3% (24), 22,5% (18) e 33,6% (38), respectivamente para a deposição de sêmen no vestíbulo vaginal, na cérvix e intrauterina.  A análise estatística mostrou que houve uma associação entre a idade das ovelhas e os diferentes locais de deposição de sêmen pelo maior ou menor grau de penetrabilidade do canal cervical (P<0,01) e forte tendência entre esse fato e o aumento da taxa de prenhez (P<0,01).


Palavras-chave


ovinos; sincronização de estro; inseminação artificial transcervical

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.