Simulação de operações de grãos em um terminal portuário

Aguinaldo Eduardo de Souza, Joao Gilberto Mendes dos Reis, Emerson Rodolfo Abraham, Renato Márcio dos Santos, Matheus Palmieri Gobbetti

Resumo


O agronegócio é uma das principais atividades da economia no Brasil e de suma importância para a balança comercial brasileira. Neste cenário a exportação de grãos coloca o Brasil em uma posição privilegiada no comércio internacional de commodities agrícolas. Em 2017 o milho foi o principal responsável pela alta performance do setor, com o crescimento de 13%. O grão protagonizou no ano de 2017 a produção de 97 milhões (t). O objetivo deste artigo é investigar eventuais gargalos logísticos na operação de recebimento e armazenamento do milho no complexo portuário de Santos. Para tanto, optou-se por estudar os referidos processos em um terminal portuário de exportação, aqui denominado Terminal A utilizando-se de simulação. Os resultados apresentam duas operações distintas, a chegada do grão no terminal por ferrovia (vagão) e a chegada por rodovia (caminhão) e apontam potenciais gargalos operacionais.


Palavras-chave


Simulação; Terminal Portuário; Armazenagem; Ferrovia; Rodovia e Milho

Texto completo:

PDF

Referências


ALFREDINI, PAOLO, e EMILIA ARASAKI. Obras e gestão de portos e costas: a técnica aliada ao enfoque logístico e ambiental. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Edgard Blücher, 2009.

BARROS, CRISTINA FERREIRA. “Procedimento para Classificação de Portos Organizados Brasileiros. Brasília-DF: Universidade de Brasília, 2013. Dissertação (Mestrado em Transportes), Universidade de Brasília, 2013.

CAUCHICK, PAULO AUGUSTO CAUCHICK, E AFONSO CARLOS CORRÊA FLEURY. 2012. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. 3ª ed. São Paulo: Elsevier, 2012.

CHWIF, LEONARDO, E AFONSO MEDINA. Modelagem e Simulação de Eventos Discretos. Teoria e Aplicações. 4a ed. São Paulo: Elsevier - Campus, 2015.

CNT, CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRANSPORTES. 2018. “Anuário CNT do Transporte - Estatísticas Consolidadas 2017”. 2018. Disponível em: . Acesso em: 31maio.2018.

DAVID, PIERRI A., E RICHARD D. STEWART. Logística Internacional. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

DUBKE, ALESSANDRA FRAGA. Modelo de localização de terminais especializados: um estudo de caso em corredores de exportação da soja. Rio de Janeiro-RJ: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2006. Tese (Doutorado Engenharia Industrial), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Universidade, 2006.

EMBRAPA, EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. 2018. Sistema de Produção EMBRAPA - Cultivo do Milho. 2018. Disponível em: . Acesso em 31 maio 2018.

FIESP, FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. 2017. Outlook Fiesp 2027 – Projeções para o Agronegócio Brasileiro. Disponível em: < http://hotsite.fiesp.com.br/outlookbrasil/2027/index.html>. Acesso em 12 abril 2018.

FILHO, PAULO JOSÉ DE FREITAS. Introdução a Modelagem e Simulação de Sistemas, com aplicação em Arena. 2a. Florianópolis: Visual Books, 2008.

HANDABAKA, ALBERTO RUIBAL. Gestão logistica da distribuição fisica internacional. 4ª ed. São Paulo (SP): Maltese, 1994

HILSDORF, WILSON DE CASTRO, E MÁRIO DE SOUZA NOGUEIRA NETO. 2015. “Porto de Santos: prospecção sobre as causas das dificuldades de acesso”. Gestão & Produção 23 (1): 219–31. https://doi.org/10.1590/0104-530X1370-14.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2018a. “Apresentação PIB 2017”. Agência de Noticias IBGE. 2018. Disponível em: Acesso em 12 abril 2018.

KEEDI, SAMIR. Transportes, Unitização e Seguros Internacionais de Carga: Práticas e Exercícios. São Paulo: Aduaneiras, 2010.

KIM, KAP HWAN, E HANS-OTTO GÜNTHER. Container Terminals and Cargo Systems: Design, Operations Management, and Logistics Control Issues ; with 72 Tables. Berlin: Springer. 2007

MAPA, MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. 2018. “Agropecuária puxa o PIB de 2017”. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Disponível em: <2018. http://www.agricultura.gov.br/noticias/agropecuaria-puxa-o-pib-de-2017>. Acesso em 12 abril 2018.

MDIC, MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉCIO EXTERIOR E SERVIÇOS. 2018. “Séries Históricas - Balança Comercial Brasileira 1989-2017”. Disponível em; Acesso em 04 abril 2018.

MOREIRA, DANIEL AUGUSTO. Pequisa Operacional: Curso Introdutório. 2a. São Paulo: Cengage Learning, 2017.

REIS, JOÃO GILBERTO MENDES DO, MÁRIO MOLLO NETO, ODUVALDO VENDRAMETTO, E PEDRO LUIZ DE OLIVEIRA COSTA NETO. 2015. Qualidade em Redes de Suprimentos - A Qualidade aplicada ao Supply Chain Management. São Paulo: Atlas.

REIS, JOÃO GILBERTO MENDES DOS, ODUVALDO VENDRAMETTO, IRENILZA DE ALENCAR NAAS, LUCIO TADEU COSTABILE, E SIVANILZA TEIXEIRA MACHADO. 2016. “Avaliação das Estratégias de Comercialização do Milho em MS Aplicando o Analytic Hierarchy Process (AHP)”. Revista de Economia e Sociologia Rural 54 (1): 131–46. https://doi.org/10.1590/1234-56781806-9479005401007.

SOUZA, AGUINALDO EDUARDO DE, JOÃO GILBERTO MENDES DO REIS, EMERSON RODOLFO ABRAHAM, E SIVANILZA TEIXEIRA MACHADO. 2017. “Brazilian Corn Exports: An Analysis of Cargo Flow in Santos and Paranagua Port”. IFIP Advances in Information and Comunication Technology 514: 105–12.

USDA, UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE. 2018. “Economics, Statistics and Market Information System”. Disponível em . Acesso em 14 março 2018.

VARAJÃO, JOÃO EDUARDO QUINTELA, MARIA MANUELA CRUZ-CUNHA, GORAN D PUTNIK, E ANTÓNIO TRIGO. “Simulation in Information Systems: Potential of the Vulnerability Theory”, 2010. http://dx.doi.org/10.1007/978-3-642-16402-6.

WANKE, PETER FERNANDES, E MARIA FERNANDA HIJJAR. 2009. “Exportadores brasileiros: estudo exploratório das percepções sobre a qualidade da infraestrutura logística”. Production 19 (1): 143–62. https://doi.org/10.1590/S0103-65132009000100010.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v13i47.9215

Direitos autorais 2020 Agrarian

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian

ISSN da versão online: ISSN 1984-2538
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.