Caracterização biométrica de cladódios de Opuntia stricta submetida a lâminas de irrigação e adubação orgânica no Semiárido paraibano

Murilo Araújo Xavier, Mateus Costa Batista, João Paulo de Oliveira Santos, José Luiz Carneiro da Silva, Paulo Henrique de Almeida Cartaxo, Rayan Sabino Reges, Daniel Duarte Pereira

Resumo


Objetivou-se com esse trabalho avaliar lâminas de irrigação e fontes de adubação orgânica sobre as características biométricas de cladódios da palma forrageira Variedade Orelha de Elefante Mexicana (Opuntia stricta [Haw.] Haw.). O experimento foi conduzido na Fazenda Riachão, município de Boa Vista, Paraíba, durante o período de outubro de 2017 a janeiro de 2018. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, constituído de um fatorial 3 x 6 x 3 (tipos de adubação; lâminas; época) para o número de cladódios por planta e 3 x 6 (tipos de adubação; lâminas) para as demais variáveis analisadas. Utilizaram-se seis lâminas de irrigação (0; 1,5; 2,5; 3,5; 4,5 e 5,5 L) e três tipos de adubação (sem adição de esterco; esterco bovino e esterco caprino). Cada tratamento teve cinco repetições e cada parcela foi composta por trinta e seis plantas. Foram contabilizadas as emissões, o perímetro, largura, comprimento, espessura e peso médio dos cladódios. Observou-se efeito da lâmina de irrigação sob todos os parâmetros analisados a 1% de probabilidade pelo Teste F. Encontrou-se interação lâmina e adubos a 1% para a largura e peso médio dos cladódios e a 5% para o número de cladódios. Para essa última variável, também se registrou interação lâmina e época a 1% de probabilidade. A lâmina de 5,5 L/semana foi a que propiciou os melhores resultados para a maioria dos parâmetros, sendo recomendada sua utilização em conjunto com o esterco caprino.


Palavras-chave


Complementação hídrica. Esterco. Palma Forrageira.

Texto completo:

PDF

Referências


DONATO, P. E.; PIRES, A. J.; DONATO, S. L.; BONOMO, P.; SILVA, J. A.; AQUINO, A. A. Morfometria e rendimento da palma forrageira ‘Gigante’ sob diferentes espaçamentos e doses de adubação orgânica. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 9, n. 1, p.151-158, 2014.

DUBEUX JR, J.C.B.; SANTOS, M.V.F. Exigências nutricionais da palma forrageira. In: MENEZES, R.S.C. et al. (eds). A palma no Nordeste do Brasil: conhecimento atual e novas perspectivas de uso. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2005. p. 105-127.

EMPARN- Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte. Palma Forrageira: irrigada e adensada. Natal: EMPARN, 2015. 62 p.

GALVÃO JÚNIOR, J. G. B.; SILVA, J. B. A.; MORAIS, J. H. G.,; LIMA, R. N. Palma forrageira na alimentação de ruminantes: cultivo e utilização. Acta Veterinaria Brasilica, v. 8, n. 2, p. 78-85, 2014.

PEREIRA, P. C.; SILVA, T. G. F.; ZOLNIER, S.; MORAIS, J. E. F.; SANTOS, D. C. Morfogênese da palma forrageira irrigada por gotejamento. Revista Caatinga, v. 28, n. 3, p. 184 -195, 2015.

RAMOS, J. P. D. F.; SANTOS, E. M.; PINHO, R. M. A.; BEZERRA, H. F. C.; PEREIRA, G. A.; BELTRÃO, G. R.; OLIVEIRA, J. S. Crescimento da palma forrageira em função da adubação orgânica. REDVET. Revista Electrónica de Veterinária, v. 16, n. 12, p.1-11, 2015.

REGO, M. M. T.; LIMA, G. F. C.; SILVA, J. G. M.; GUEDES, F. X.; DANTAS, F. D. G.; LOBO, R. N. B. Morfologia e Rendimento de Biomassa da Palma Miúda Irrigada sob Doses de Adubação Orgânica e Intensidades de Corte. Revista Científica de Produção Animal, v.16, n.2, p.118-130, 2014.

ROCHA, R. S.; VOLTOLINI, T. V.; GAVA, C. A. T. Características produtivas e estruturais de genótipos de palma forrageira irrigada em diferentes intervalos de corte. Archivos de zootecnia, v. 66, n. 255, p. 363-371, 2017.

SILVA, L. M.; FAGUNDES, J. L.; VIEGAS, P. A. A.; MUNIZ, E. N., RANGEL, J. H. A.; MOREIRA, A. L.; BACKES, A. A. Produtividade da palma forrageira cultivada em diferentes densidades de plantio. Ciência Rural, v. 44, n. 11, p. p.2064-2071, 2014.

SILVA, R. R.; SAMPAIO, E. V. S. B. Palmas forrageiras Opuntia fícus-indica e Nopalea cochenillifera: sistemas de produção e usos. Revista Geama, v. 1, n. 2, p. 151-161, 2015a.

SILVA, T. G. F.; ARAÚJO PRIMO, J. T.; MORAIS, J. E. F.; DINIZ, W. J. S.; SOUZA, C. A. A.; SILVA, M. C. Crescimento e produtividade de clones de palma forrageira no semiárido e relações com variáveis meteorológicas. Revista Caatinga, v.28, p.10-18, 2015b.

SOUTO, P. C.; SOUTO, J. S.; SANTOS, R. V.; ARAÚJO, G. T.; SOUTO, L. S. Decomposition of manures applied at different depths in a degraded semi-arid area of the State of Paraíba. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 29, n. 1, p. 125-130, 2005.

SOUTO, P.C.; SOUTO, J.S.; NASCIMENTO, J.A.M. Liberação de nutrientes de estercos em luvissolo no semiárido paraibano. Revista Caatinga, v.26, n.4, p.69-78, 2013.

SOUZA, D. C. F.; LIMA, I. S.; SANTOS, J. A. S.; ALMEIDA, A. Q.; GONZAGA, M. I. S.; LIMA, J. F. Zoneamento agroclimático da palma forrageira (Opuntia sp) para o estado de Sergipe. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v.12, n.1, p. 2338-2347, 2018.

SOUZA, N. G. M.; SILVA, J. A.; MAIA, J. M.; SILVA, J. B.; NUNES, JÚNIOR, E. D. S.; MENESES, C. H. S. G. Tecnologias sociais voltadas para o desenvolvimento do Semiárido brasileiro. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management, v.12, n.3, p. 1-12, 2016.

SUDENE - Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste. RESOLUÇÃO N º 115/2017. Aprova a Proposição nº 113/2017, que acrescenta municípios a relação aprovada pela Resolução CONDEL nº 107, e 27 de julho de 2017. Disponível em: http://sudene.gov.br/images/arquivos/conselhodeliberativo/resolucoes/resolucao115-23112017-delimitacaodosemiarido.pdf. Acesso em 10 de agosto de 2018.

SUDENE. Pacto Nordeste: ações estratégicas para um salto do desenvolvimento regional. Recife: SUDENE, 1996. 77 p.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v13i47.9206

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/

Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.