Determinação da curva de crescimento e alometria de pacu (Piaractus mesopotamicus), tambaqui (Colossoma macropomum) e seus híbridos

Hortência Aparecida Botelho, Matheus Hernandes Leira, Carlos Cicinato Vieira Melo, Marcos Barcellos Café, Rilke Tadeu Fonseca de Freitas

Resumo


Objetivou-se com este trabalho determinar o melhor modelo de curva de crescimento e avaliar o crescimento alométrico do pacu (Piaractus mesopotamicus), tambaqui (Colossoma macropomum) e seus híbridos. Os peixes foram cultivados em viveiro de terra dividido em quatro hapas de 6 m x 11 m, permanecendo nestas áreas até atingirem peso médio de 1200 g (final do experimento), perfazendo 271 dias de cultivo. A cada 28 dias, vinte peixes foram pesados e submetidos a avaliação morfométrica. Foram testados os modelos de regressão não linear de Brody, Gompertz, Logístico e von Bertalannfy. O estudo do crescimento alométrico das partes dos peixes foi realizado mediante o modelo da equação exponencial yi = axbεi. Entre os modelos testados o Logístico foi o que apresentou menores valores para AIC e maiores para R 2 em todas as variáveis e grupos genéticos estudados. Observou-se diferença nos valores dos coeficientes alométricos entre os híbridos para todos os componentes do peso corporal, exceto para peso de cabeça. O modelo logístico foi considerado o modelo mais indicado para comparação dos parâmetros de crescimento. Para todos os grupos genéticos, na fase adulta os animais apresentam um desenvolvimento menor de cabeça em relação ao corpo.


Palavras-chave


Alométrico; Coeficiente; Regressão.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLAMAN I.B.; REIS NETO R.V.; FREITAS R.T.F.; ROSA P.V.; LAGO A.A.; COSTA A.C. Deposition of bodily chemical components in the carcass of tilapia (Oreochromis sp.) strains. Ciência e Agrotecnologia, v.38, n.5, p.487-496, 2014.

BAER,A.; SCHULZ,C.; TRAULSEN,I.; KRIETE R, J. Analysing the growth of turbot (Psetta maxima) in a commercial recirculation system with the use of three different growth models. Aquaculture International, v. 19, n.3,

p. 497– 511, 2010.

BRASIL. Ministério da Pesca e Aquicultura. Boletim estatístico da pesca e aquicultura. Brasília, 2011. 60 p.

COSTA, A. C., BALESTRE, M., BOTELHO, H. A., FREITAS, R. T. F., GOMES, R. C. S., CAMPOS, S. A. S., … MENDONCA, M. A. C. Imputation of genetic composition for missing pedigree data in Serrasalmidae using morphometric data. Scientia Agricola, v. 74, n.6, p. 443–449, 2017.

FERNANDES, E. M., ALMEIDA, L. C. F., HASHIMOTO, D. T., LATTANZI, G. R., GERVAZ, W. R., LEONARDO, A. F., NETO, R. V. R. Survival of purebred and hybrid Serrasalmidae under low water temperature conditions. Aquaculture, v. 497, p. 97–102, 2018.

FREITAS, A. R. Curvas de crescimento na produção animal. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, MG, v. 34, n. 3, p. 786-795, maio/jun. 2005.

FREITAS, A. R. Estimativas de curvas de crescimento na produção animal. São Carlos-SP: Embrapa Pecuária Sudeste, 2007. – (Embrapa Pecuária Sudeste. Documento, 68).

GAGNAT, M.R.; WOLD, P.A.; BARDAL, T.; OIE, G.; KJORSVIK. Allometric growth and development of organs in ballan wrasse (Labrus bergylta Ascanius, 1767) larvae in relation to diferente live prey diets and growth rates. Biology Open, v.5, n.9, p.1241-1251, 2016.

GARCIA, I. F. F.; PEREZ, J. R O.; BONAGURIO, S.; SANTOS, C.L. Estudo alométrico dos cortes de cordeiros Santa Inês puros e cruza. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, MG, v.35, n.4, p.1416-1422, 2006.

GOMIERO, J.S.G.; FREITAS, R.T.F.; SANTOS, V.B.; SILVA, F.F.; RODRIGUES, P.B.; LOGATO, P.V.R. Curvas de crescimento morfométrico de Piracanjuba (Brycon orbignyanus). Ciência e Agrotecnologia, 33(3):882-889, 2009.

HASHIMOTO, D. T., PRADO, F. D., SENHORINI, J. A., FOREST, F., & PORTO‐

FORESTI, F. Detection of post‐F1 fish hybrids in broodstock using molecular markers: Approaches for genetic management in aquaculture. Aquaculture Research, v. 44, n.6, p. 876–884, 2013.

KARLSEN, O.; VAN DER MEEREN, T.; RØNNESTAD, I.; MANGOR-JENSEN, A.; GALLOWAY, T. F.; KJØRSVIK, E. ;HAMRE, K. Copepods enhance nutritional status, growth and development in Atlantic cod (Gadus morhua

L.) larvae - can we identify the underlying factors? PeerJ, v. 19, n. 3, p.902, 2015.

LAIRD, A. K., & HOWARD, A. Growth curves in inbred mice. Nature, 213(5078), 786-788, 1967.

MARCATO, S. M., SAKOMURA, N. K., FERNANDES, J. B. K., SIQUEIRA, J. C., DOURADO, L. R. B., & FREITAS, E. R. Crescimento e deposição de nutrientes nos órgãos de frangos de corte de duas linhagens comerciais. Revista Brasileira de Zootecnia, 39(5), 1082-1091, 2010.

MAZZINI, A.R.A. et al. Curva de crescimento de novilhos Hereford: heterocedasticidade e resíduos autorregressivos. Ciência Rural, v.35, p.422-427, 2005.

PEDRAZZANI, A. S., MOLENTO, C. F. M., CARNEIRO, P. C. F. & CASTILHO, M. F. Panorama da Aquicultura: Senciência e Bem-estar de peixes: Uma Visão de Futuro do Mercado Consumidor. Acqua & Imagem, 107(102), 2007.

RONDON, E. O. O., MURAKAMI, A. E., & SAKAGUTI, E. S. Modelagem computacional para produção e pesquisa em avicultura. Revista Brasileira de Ciência Avícola, 4(1), 199-207, 2002.

SANTOS V.B., FREITAS R.T.F., SILVA F. F. FREATO T.A. Evaluation of morhometric growth curves of tilapia of Nilo (Oreochromis niloticus)

strains. Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n.5, p. 1486-1492, 2007.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v12i43.9158

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.