Efeito de doses de polímero hidroabsorvente no enraizamento de estacas de amoreira

Rodrigo Amato Moreira, José Darlan Ramos, Maria do Céu Monteiro da Cruz, Larissa Villar, Oscar Mariano Hafle

Resumo


A propagação da amoreira (Morus sp.) é realizada principalmente pelo método da estaquia, entretanto, os estudos relacionados aos tipos de estaca e substratos mais adequados para a sua propagação são escassos. Dessa forma o trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito da adição de diferentes doses do polímero hidroabsorvente no enraizamento de dois tipos de estacas de amoreira. Foi utilizado o esquema fatorial 2 x 4, no delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições e cinco estacas por parcela experimental. Os tratamentos consistiram de dois diâmetros da estaca (7-10 mm e 4-7 mm) e quatro doses do polímero hidroabsorvente Supragua® (0, 3, 6 e 9 g L-1). Aos 90 dias após o plantio foram realizadas as avaliações da porcentagem de enraizamento, comprimento da parte aérea (cm), número de brotações, número de folhas e comprimento da raiz (cm). Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, correlação de Pearson e regressão polinomial, encolhendo os modelos com base na significância de 5% de probabilidade de erro. Os resultados mostraram que mudas de amoreira podem ser formadas por estacas com diâmentro entre 4 e 10 mm e que a incorporação do polímero hidroabsorvente ao substrato na dose de 5 g L-1 favoreceu o melhor desenvolvimento das mudas de amoreira.


Palavras-chave


mudas de amora; substrato; Bombyx mori

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.