Inoculação com bradyrhizobium e formas de aplicação de Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

Amilton Ferreira da Silva, Evandro Luiz Schoninger, Stéfan Monteiro, Gustavo Caione, Marco Antonio Camillo de Carvalho, Flávio Carlos Dalchiavon, Rafael Noetzold

Resumo


Com o objetivo de avaliar a resposta da cultura da soja à doses de inoculante e formas de aplicação de Cobalto (Co) e Molibdênio (Mo) em área de primeiro ano de cultivo foi realizado um  experimento nos anos agrícolas de 2006/2007 e 2007/2008, na área experimental da Universidade do estado de Mato Grosso, Campus de Alta Floresta (MT). Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso, em um esquema fatorial 2 x 4, com quatro repetições. Os fatores consistiram de inoculação das sementes com Bradyrhizobium japonicum (3 e 6 mL kg-1 de sementes) e formas de aplicação de Co e Mo (via semente; aplicação na semente + foliar; aplicação somente foliar e testemunha). Foram utilizadas sementes da cultivar COODETEC 219 RR no primeiro ano e Monsoy 8866 no segundo ano de cultivo. Avaliou-se as seguintes variáveis: vagens planta-1, número de grãos vagem-1, massa de 100 grãos e produtividade de grãos. Não houve resposta em produtividade de grãos da cultura da soja em função da aplicação de doses de inoculante e formas de aplicação de Co e Mo nos dois anos de cultivo. No segundo ano de cultivo, com a cultivar Monsoy 8866, a aplicação de Co e Mo aumentou a massa de 100 grãos, independente da forma de aplicação

Palavras-chave


Glycine max, micronutrientes, fixação biológica de nitrogênio.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.