Crescimento inicial de muda tipo pé-franco de tamarindeiro (Tamarindus indica L.) em diferentes níveis de salinidade na água

Glêidson Bezerra de Góes, Django Jesus Dantas, Vander Mendonça, Wildjaime Bergaman Medeiros de Araújo, Renato Dantas Alencar, Luciana Freitas de Medeiros

Resumo


Não existem ainda estudos sobre a tolerância do tamarindeiro a salinidade da água de irrigação na produção de mudas do tipo pé-franco. O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos de concentrações salinas na irrigação, sobre o crescimento inicial de mudas tipo pé-franco de tamarindeiro (Tamarindus indica L.). Os tratamentos consistiram de soluções salinas de NaCl nas concentrações 1,5; 3,0; 4,5 e 6,0 dS m-1, sendo a testemunha (água de poço C.E. 0,4 dS m-1). O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, contendo 5 tratamentos, sendo 4 repetições e 5 mudas por parcela. Aos noventa dias após a semeadura, foram avaliada a altura da muda; número de folhas, diâmetro de colo, matéria seca da parte aérea, da raiz e total. Observou-se que a medida que aumentam os níveis de salinidade, as características produção de matéria seca da parte aérea, das raízes e total das mudas de tamarindeiro tipo pé-franco foram afetadas, negativamente. As demais características não foram afetadas significativamente. Assim durante a fase de formação de mudas, o tamarindeiro não tolera a elevação das concentrações salinas na irrigação.


Palavras-chave


Tamarindo, estresse salino, produção de mudas

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.