Avaliação e seleção de linhagens de mamoneira ao alumínio tóxico em solução nutritiva

Mauricio dos Santos da Silva, Simone Alves Silva, Vanessa de Oliveira Almeida, Carlos Alberto da Silva Ledo, Gilmara de Melo Araujo Silva, Antonio Leandro da Silva Conceição

Resumo


O alumínio tóxico em altas concentrações no solo interfere no crescimento e desenvolvimento da mamoneira (Ricinus communis L.), afetando principalmente seu sistema radicular e dessa forma, diminuindo a produtividade da cultura. Nesse sentido, uma população de 117 linhagens de mamona foram submetidas à dose de 30 mg L-1 de Al+3 em solução nutritiva, sob condição hidropônica com o objetivo de avaliar e selecionar linhagens tolerantes ao alumínio tóxico. O experimento foi realizado no Laboratório de Seleção Precoce do Núcleo de Melhoramento Genético e Biotecnologia (NBIO) pertencente ao Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas – BA. O delineamento foi inteiramente casualizado, com quatro repetições de seis plântulas por parcela. A dose utilizada, 30 mg L-1,interferiu no desenvolvimento das linhagens, agrupando-as diferentemente em cada caráter avaliado. Pela análise conjunta dos dados, existe variabilidade genética para tolerância ao alumínio tóxico, distribuindo as linhagens em cinco grupos distintos, permitindo a seleção das linhagens por apresentarem as melhores características quanto à tolerância ao alumínio tóxico.


Palavras-chave


Ricinus communis L.; Recrescimento da raiz; Divergência genética

Referências


ABATE, E.; HUSSIEN, S.; LAING, M.; MENGISTU, F. Aluminum toxicity tolerance in cereals: Mechanisms, genetic control and breeding methods. African Journal of Agricultural Research, v.8, p.711-722, 2013.

BITENCOURT, G. A. Avaliação da tolerância ao alumínio em Urochloa spp.. Jaboticabal-SP: Universidade Estadual Paulista. 60p, 2010. (Dissertação em Agronomia) Universidade Estadual Paulista

CASTILHOS, G.; FARIAS, J. G.; SCHNEIDER, A. B.; OLIVEIRA, P. H.; NICOLOSO, F. T.; SCHETINGER, M. R. C.; DELATORRE, C. A. Aluminum-stress response in oat genotypes with monogenic tolerance. Environmental and Experimental Botany, v.74, p.114-121, 2011.

CHARRAD, M.; GHAZZALI, N.; BOITEAU, V.; NIKNAFS, A. NbClust: An R Package for Determining the Relevant Number of Clusters in a Data Set, 2014. Disponível em: < http://www.jstatsoft.org/v61/i06/>. Acessado em 04 de Abril de 2015.

CAMARGO, O. C. e OLIVEIRA, O. F. Tolerância de cultivares de trigo a diferentes níveis de alumínio em solução nutritiva e no solo. Bragantia, v.40, p.21-23, 1981.

CRESTANI, M.; CARVALHO, F. I. F.; OLIVEIRA, A. C.; SILVA, J. A. G.; SOUZA, V. Q.; PARACHU, E. A. M.; SILVEIRA, G.; RIBEIRO, G. E.; LUCHE, H. S. Estresse por alumínio em genótipos de aveia preta em condição hidropônica. Bragantia, v.68, p.639-649, 2009.

CRESTANI, M.; SILVA, J. A. G.; TESSMANN, E. W.; SILVEIRA, S. F.;S.; NORNBERG, R.; RIBEIRO, G.; CARVALHO, F. I. F.; OLIVEIRA, A. C. Protocolos para seleção quanto à tolerância ao alumínio em aveia sob cultivo hidropônico. Revista Brasileira Agrociência, v.17, p.311-320, 2011..

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v.35, p.1039-1042, 2011.

FINATTO, T.; SILVA, J. A. G; CARVALHO, F. I. F. Reação de tolerância de genótipos de aveia branca a concentrações de alumínio em solução nutritiva. Magistra, Cruz das Almas, v.19, p.7-15, 2007.

FRANÇA, M. L. C.; THI, A. T. P.; PIMENTEL, C.O.; ROSSIELLO, R.P.; ZUILY-FODIL, Y.; LAFFRAY, D. Diferences in growth and water relations among Phaseolus vulgaris in response to induced drought stress. Botânica Ambiental e Experimental, v.43 ,p.227-237, 2000.

HERVÉ, C. B.; ANDRESSA, F.; CRISTIANO, C. I.; DELATORREI, N. C. A. Tolerância ao alumínio tóxico em germoplasma brasileiro elite de aveia. Ciência Rural, Santa Maria, v.43, p.1364-1370, 2013.

LIMA, R. L. S.; SEVERINO, L. S.; FERREIRA, G.B.; AZEVEDO, C. A. V.; SOFIATTI, V.; ARRIEL, N. H.C. Soil exchangeable aluminum influencing the growth and leaf tissue macronutrients content of castor plants. Revista Caatinga, Mossoró, v.27, p.10-15, 2014.

MACHADO, E. L.; SANTOS, A.; SILVA, A. S.; AZEVEDO NETO, A. D. Otimização e validação do método analítico gravimétrico e teor de óleo em uma população F3 de mamoneira da UFRB. Revista Magistra, 26:198-205, 2014.

MOLINA, J. C.; MODA-CIRINO, V.; FONSECA JÚNIOR, N. S.; FARIA, R. T.; DESTRO, D. Response of common bean cultivars and lines to water stress. Crop Breeding and Applied Biotechnology, v.1, p.363-372, 2001.

OVEČKA, M. e TAKÁC, T. Managing heavy metal toxicity stress in plants: Biological and biotechnological tools. Biotechnology Advances, v.32, p.73-86, 2013.

PASSOS, A. R. Estudo genético e agronômico da mamoneira em baixas altitudes do Recôncavo Baiano. Cruz das Almas - BA: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, 2009.109 p. Tese (Doutorado em Agronomia), Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, 2009.

PASSOS, A.R.; SILVA, A. S.; HARTWIG, I.; HAWERROTH, M. C.; SANTOS, K. S.; SOUZA, C. M. M. Avaliação de cultivares de mamoneira para tolerância ao alumínio tóxico e insensibilidade ao ácido giberélico. Magistra, Cruz das Almas, v.27, p.73-81, 2015.

RAO, R. C. Advanced statistical methods in biometric research J. Wiley. 1952. R Development Core Team, 2013. Disponível em:< http://www.r-project.org/>. Acessado em 04 de Abril de 2015.

SANTOS, L. A. Caracterização e seleção de linhagens elites de mamoneira (Ricinus communis L.) por meio do desempenho morfoagronômico e molecular no Estado da Bahia. Cruz das Almas - BA: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, 2013. 85p. Tese (Doutorado em Agronomia), Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, 2013.

SANTOS, V. S. Seleção de pré-cultivares de soja baseada em índices. Piracicaba – SP: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, 2005. 104p. Tese (Doutorado em agronomia), Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, 2005.

SCOTT, A. e KNOTT, M. Cluster-analysis method for grouping means in analysis of variance. Biometrics, v.30, p.507-512, 1974.

SILVA, J. A. G.; CARVALHO, F. I. F; COIMBRA, J. L. M.; VIEIRA, E. A.; BENIN, G.; OLIVEIRA, A. C.; FINATTO, T.; BERTAN, I.; SILVA, G. O.; CORREA, M. R. Tolerância ao alumínio em cultivares de aveia branca sob cultivo hidropônico. Bragantia, Campinas, v.66, p.587-593, 2007.

SOKAL, R. R. e ROHLF, F. J. The comparison of dendrograms by objective methods. Taxon, v.11, p.30-40, 1962.

TAMURA, K.; PETERSON, D.; PETERSON, N.; STECHER, G.; NEI, M. S.; KUMAR, E. MEGA5:. Molecular Evolutionary Análise Genética usando máxima verossimilhança, Evolutionary Distância, e Máximo Métodos parcimônia. Biologia Molecular e Evolução, v.28, p.2731-2739, 2011.

TEDESCO, M. J. e BISSANI, C. A. Acidez do solo e seus efeitos nas plantas. In: BISSANI, C. A.; GIANELLO, C.; TEDESCO, M. J.; CAMARGO, F. A. O. Fertilidade dos solos e manejo da adubação de culturas. Porto Alegre, 2004, p. 75-92.

ZEFFA, D. M.; SANDOLI FILHO, R.; MODA-CIRINO, V.; PAVAN, M. A. Variabilidade Genética Para Tolerância à Toxidez de Alumínio em Cultivares e Linhagens Promissoras de Feijão. UNOPAR Científica Exatas e Tecnológicas, v.10, p.21-28, 2011.




DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v12i44.8000

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.