Perfil metabólico de novilhas alimentadas com diferentes fontes proteicas

Diego Azevedo Mota, Nelma Pinheiro Fragata, Thiago Vasconcelos Melo, Felipe Nogueira Domingues, Claudia Braga Pereira Bento, Jenevaldo Barbosa da Silva

Resumo


Objetivou-se avaliar o perfil dos metabólitos sanguíneos de novilhas leiteiras alimentadas com dietas isoproteicas constituídas por quatro fontes de proteína (farelos de soja, algodão, girassol e amendoim) contendo cana-de-açúcar como volumoso exclusivo. O delineamento experimental adotado foi um duplo quadrado latino 4 x 4, com oito animais, quatro tratamentos e quatro períodos experimentais. Na análise dos parâmetros sanguíneos foi utilizado um modelo que incluiu o efeito do quadrado, período, fontes proteicas, horário, e interação fontes proteicas x horários e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade.As concentrações de proteínas totais, albumina, ureia e creatinina no soro sanguíneo das novilhas não foram influenciadas pelas diferentes fontes proteicas (P>0,05), porém, observou-se diferença significativa apenas nas concentrações médias de creatinina entre os horários de coleta de sangue (P<0,05). Entre os horários de coleta do sangue foi observada diferença significativa (P<0,05) nas concentrações médias de beta-hidroxibutirato e ácidos graxos não esterificados, e uma tendência para triglicérides (P=0,06).As fontes proteicas não causam alterações nas atividades séricas, sendo que os valores do perfil metabólico sanguíneo mantiveram na faixa dos valores considerados referência.

Palavras-chave


alanina aminotransferase, beta-hidroxibutirato, cálcio total, concentrações séricas, proteína total.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v11i42.7475

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.