Determinação dos compostos bioativos da gabiroba

Ricardo de Morais Mendes, Ellen Pinto, Dayana Soares

Resumo


O bioma Cerrado apresenta uma rica variedade de espécies frutíferas detentoras de características sensoriais e nutricionais ainda pouco exploradas cientificamente e comercialmente. Este trabalho tem como objetivo determinar os compostos bioativos de frutos de gabiroba, oriundos do município de Guarda-Mor, MG. 70 frutos maduros e in natura, foram selecionados aleatoriamente para a realização da análise biométrica, da qual apresentou os seguintes resultados expressos em média: diâmetro longitudinal 17,57mm, diâmetro transversal 17,39mm, casca 1,78 g, polpa 0,40 g e semente 2,11 g. Após, o despolpamento dos frutos, casca, polpa e semente foram analisadas com a determinação de pH, acidez, sólidos solúveis, umidade, cinzas, vitamina C, β-carotenos e fenólicos totais. O conteúdo de vitamina C encontrado na casca foi de 120,47 mg/100 g, sendo maior que ao encontrado na polpa que foi de 89,52 mg/100 g. Na determinação dos β-carotenos e fenólicos totais, as análises foram realizadas nos meios aquoso, hidro alcoólico e etílico. Para os β-carotenos, dentre os três meios analisados, a extração em meio aquoso foi a que apresentou uma melhor eficiência na casca 0,29 μg/100 g, polpa 0,92 μg/100 ge semente 0,48 μg/100 g. Já para os fenólicos totais, o extrato hidro alcoólico apresentou maior eficiência na casca 1,22 mg/100 g e polpa 1,32 mg/100 g, e o extrato aquoso apresentou maior eficiência na semente 1,31 mg/100 g. A gabiroba apresentou resultados expressivos para os compostos bioativos. Seu potencial de exploração comercial é grande.  


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v11i39.7045

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.