Período de interferência de plantas daninhas na cultura da mamona cultivada na safra de verão em Cassilândia-MS

Leandro Tropaldi, Ronny Clayton Smarsi, Cristiane Gonçalves de Mendonça, Cristina Gonçalves de Mendonça, Diógenes Martins Bardiviesso, Rogério Peres Soratto

Resumo


Resumo. Este trabalho teve como objetivo determinar o período de interferência de plantas daninhas na cultura da mamona “Lyra” durante a safra de verão, nas condições
locais de Cassilândia-MS. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os períodos de interferência consistiram em manter a cultura na presença e na ausência de espécies daninhas por 14, 28, 42, 56, 70, 98 e 106 dias após a emergência (DAE) da cultura. Na área  experimental, as maiores freqüências foram principalmente de capim-carrapicho (Cenchrus echinatus L.), betônia (Hyptis suaveolens (L.) Poit.) e capim-colchão (Digitaria horizontalis Willd), com valores de 1,00, 0,89 e 0,39, respectivamente durante o ciclo da cultura. Os parâmetros avaliados foram densidade e biomassa seca da comunidade infestante, além da produtividade da cultura. Nas condições que o experimento foi conduzido o experimento determinou-se que o PAI foi de
0 a 14 dias, o PCPI de 14 a 42 DAE e o PTPI de 0 a 42 DAE da cultura da mamona.

Palavras-chave


biodiesel, competição, Ricinus communis L

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Agrarian

ISSN da versão online: ISSN 1984-2538
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.