Ambientes, recipientes e substratos na formação de mudas de pepino híbrido

Edilson Costa, Laura Caroline Rodrigues Vieira, Edson Talarico Rodrigues, Daniel Machado, Allison Bruno Pontes Braga, Viviane do Amaral Gomes

Resumo


Resumo. Este trabalho teve como objetivo avaliar a formação de mudas de quatro híbridos de pepino Aladdin F1, Nikkey, Safira e Nobre F1 em experimentos conduzidos na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Aquidauana, MS. Foram utilizados seis ambientes de cultivo: estufa plástica com pé-direito de 2,5m; viveiro telado com tela 50% de  sombreamento, com pé-direito de 2,5m; viveiro telado de tela termorefletora aluminizada 50% de sombreamento, com pé-direito de 2,5m; viveiro coberto com palha de coqueiro nativo, com pé-direito de 1,8m; estufa plástica com pé-direito de 4,0m, possuindo abertura zenital e tela termo-refletora  aluminizada 50% de sombreamento sob o plástico e viveiro  telado de tela de sombreamento 50%, com pédireito de 3,5m. Utilizaram-se três substratos: 50% de solo e 50% de composto orgânico; 50% de solo e 50% de pó-de-serra e 50% de solo e 50% de fibra de coco, em bandejas de poliestireno com 72 células e 128 células. Cada híbrido foi avaliado para
cada bandeja cruzando os ambientes e substratos. As estufas plásticas e o substrato com fibra de coco promoveram melhores resultados. O substrato com pó-de-serra não
é indicado para a formação de mudas de pepino.

Palavras-chave


cultivo protegido, bandejas de poliestireno, fibra de coco

Texto completo:

PDF




Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.