Radiação uv-c na longevidade pós-colheita de tangerinas sob refrigeração

Alex Guimarães Sanches, Maryelle Barros da Silva, Elaine Gleice Silva Moreira, Shirley Silva Cosme, Carlos Alberto Martins Cordeiro

Resumo


O aumento da vida de prateleira é fundamental para ampliar a comercialização dos frutos de tangerina e assim alçar mercados mais distantes. Nessa linha, o presente trabalho teve por objetivo avaliar o melhor tempo de exposição à radiação ultravioleta UV-C na longevidade pós-colheita desse fruto. Avaliou-se os tempos de exposição por cinco, dez, quinze e vinte minutos além de frutos que não foram expostos configurando a testemunha, os frutos foram armazenados sob refrigeração a temperatura de 15°C e avaliados por 25 dias. A cada cinco dias avaliou-se a perda de massa fresca, firmeza, sólidos solúveis, acidez titulável, pH, ácido ascórbico, relação SS/AT e taxa respiratória. Com exceção do pH, os demais resultados mostraram variação estatística em todas as características avaliadas. Os tempos de exposição por quinze e vinte minutos apresentaram resultados semelhantes em todos os tempos de armazenamento e revelaram melhores médias quanto à qualidade pós-colheita dos frutos. Independente do tempo de exposição, à radiação UV-C mostrou-se como uma técnica promissora para a conservação das tangerinas ampliando sua vida útil mesmo quando mantidas sob refrigeração.


Palavras-chave


Citrus reticulata Blanco, ponkan, tempo de exposição

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.