Crescimento de plantas de tectona grandis sob restrição hídrica

Fabio Santos Matos, Igor Alberto Silvestre Freitas, Brenda Rodrigues de Souza, Vinícius de Araújo Lopes, vanessa do rosario rosa

Resumo


O presente estudo teve como objetivo identificar a(s) estratégia(s) de sobrevivência de plantas de Tectona grandis sob déficit hídrico para fomentar programas de melhoramento genético. O trabalho foi conduzido em casa de vegetação coberta com plástico transparente e laterais fechadas com sombrite 50%. As sementes de Tectona grandis foram semeadas em vasos de 12 litros contendo uma mistura de solo, areia e esterco na proporção de 3:1:0,5 respectivamente. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com cinco tratamentos e seis repetições. A partir do 101º dia após a germinação, as plantas foram submetidas a regimes hídricos diferenciais: plantas diariamente irrigadas com volume de água correspondente a 0%, 25%, 50%, 75% e 100% da evapotranspiração diária durante 20 dias e, em seguida, submetidas as análises. Em condição de déficit hídrico as plantas de Tectona grandis mantêm-se vivas com reduzido crescimento vegetativo, para tal, as plantas ajustam a área foliar e apresentam como estratégia de sobrevivência um eficiente mecanismo de fechamento estomático em função da elevada sensibilidade dos estômatos. O controle estomático da transpiração pode ser utilizado para pré-seleção de materiais promissores para programas de melhoramento genético.

Palavras-chave


Melhoramento genético, seca, silvicultura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/agrarian.v11i39.5284

Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.