Matéria seca do feijoeiro e correção da acidez do solo em função de doses e fontes de corretivos

Fernando Shintate Galindo, Juliano da Costa Silva, Gustavo Antônio Xavier Gerlach, Marina Munhoz Rossato Ferreira, Adriana de Souza Colombo, Marcelo Carvalho Minhoto Teixeira Filho

Resumo


Novos produtos vêm sendo testados para melhorar o condicionamento do solo, entre eles o calcário líquido, que é um produto em suspensão com nano-partículas, centenas de vezes menores que as partículas do calcário convencional. Logo, torna-se necessário averiguar se realmente o calcário líquido é eficaz na correção da acidez do solo. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de doses de corretivos de acidez líquido e em pó, na produção de matéria seca de feijoeiro irrigado e correção de um Latossolo Vermelho distroférrico. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com quatro repetições e em esquema fatorial 4x2, constituídos de quatro doses de calcário (0 (testemunha), 1/2; 1 e 2x a dose recomendada) e dois tipos de corretivos de solo (calcário dolomítico em pó e calcário líquido). O comprimento da raiz principal, e as matérias secas de raiz e de parte aérea do feijoeiro não foram influenciados pelas doses e fontes de corretivo. O calcário dolomítico proporcionou maiores valores de pH do solo e menores acidez potencial, indicando que o corretivo líquido não foi eficaz na correção da acidez do solo. A aplicação de 2,7 t ha-1 de calcário dolomítico proporcionou a menor acidez potencial e o maior pH do solo cultivado com feijoeiro. 


Palavras-chave


acidez potencial; calagem; calcário líquido; Phaseolus vulgaris L.; pH do solo

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.