Efeito de doses de gesso agrícola na cultura do milho e alterações químicas no solo

Luiz Augusto Amaral, João Paulo Ascari, Willian Marques Duarte, Inês Roeder Nogueira Mendes, Esdras Silva Santos, Otávio Luiz Lenzi Julio

Resumo


A cultura do milho apresenta importância econômica no cenário agrícola, de modo que a região Centro Oeste detém a maior media de produtividade do Brasil. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de doses de gesso agrícola sobre a produtividade de milho cultivado em segunda safra e seus efeitos químicos no solo. O experimento foi realizado no Campus experimental da UNEMAT, Tangará da Serra – MT. O delineamento experimental foi em blocos casualizados (DBC) com cinco tratamentos (0 kg ha-1, 1.000 kg ha-1, 2.000 kg ha-1, 3.000 kg ha-1 e 4.000 kg ha-1 de gesso agrícola) com quatro repetições, totalizando 20 parcelas. Foi utilizado o híbrido de milho DKB 390 VT Pro2, e as parcelas foram constituídas de cinco metros de comprimento por quatro de largura, com espaçamento entre linhas de 0,50 m. Foi aplicado calcário dolomítico e gesso agrícola aos 60 e 30 dias antes da semeadura, respectivamente. Somente a variável diâmetro do caule e produtividade apresentou diferença significativa entre os tratamentos, onde os diâmetros superiores foram observados nas doses acima 2.000 kg ha-1 e a maior produtividade obtida na dose de 4.000 kg ha-1 de gesso. O efeito da aplicação do gesso proporcionou aumento na concentração de enxofre, cálcio e magnésio no subsolo, assim como redução nos teores de alumino. A dose de 4.000 kg ha-1 de gesso promoveu a maior produtividade.

Palavras-chave


Zea mays L., produtividade, movimentação de nutrientes

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.