Parâmetros hematológicos e bioquímicos do surubim do Iguaçu (Steindachneridion melanodermatum) criados em tanques-rede

Micheli Zaminhan, Marcia Luzia Ferrarezi Maluf, Edionei Maico Fries, Silvia Cristina Salvador, ALdi Feiden, Wilson Rogério Boscolo

Resumo


O surubim do Iguaçu (S. melanodermatum) é o maior pimelodídeo do Rio Iguaçu, podendo atingir até 15,0 kg e 70,0 cm de comprimento. Porém, escassos são os estudos sobre sua fisiologia principalmente em relação às características hematológicas e bioquímicas da espécie, que são fundamentais por contribuírem na compreensão fisiológica, filogenética e o estado de saúde dos peixes. Dentro desse intuito, o presente trabalho avaliou as características hematológicas e bioquímicas do Surubim do Iguaçu cultivados em tanques – rede. Determinou-se os seguintes parâmetros: concentração de hemoglobina, percentual de hematócrito, contagem de eritrócitos, volume corpuscular médio (VCM), hemoglobina corpuscular média (HCM), concentração de hemoglobina corpuscular média (CHCM). Para os parâmetros bioquímicos determinou–se: glicose plasmática, proteínas totais, colesterol total e triglicerídeos. Os parâmetros hematológicos e bioquímicos observados no surubim do Iguaçu S. melanodermatum  fornecem valores sanguíneos que poderão servir de comparação, para mesma espécie em outras situações de cultivo.


Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.