Produtividade de híbridos de milho na safrinha em Goiás

Adriano Perin, Roni Fernandes Guareschi, H. R. Silva Junior, Adoniran Silva, Watson Rogerio Azevedo

Resumo


São escassos trabalhos na literatura que reportem acerca do desempenho agronômico de híbridos de milho em condições de safrinha na região dos cerrados. O objetivo do trabalho foi avaliar as características da espiga e produtividade de diferentes híbridos de milho em condições de safrinha no sudoeste goiano. Foram cultivados oito ha de milho safrinha, entre o período de janeiro a junho de 2007. O experimento constou de quatro diferentes híbridos de milho: DG 213 Turbo, DG 501, DG 601 Elite e P30K75. Foram cultivados 2 ha para cada híbrido. Avaliou-se o comprimento, diâmetro, peso da espiga, peso de 100 grãos e produtividade de grãos de milho (kg ha-1). Foi verificado que os híbridos não apresentaram efeito diferenciado nas variáveis comprimento e diâmetro da espiga. Quanto ao peso de espiga, foi verificado que os híbridos DG 601 elite e P30K75 se destacaram, sendo superiores aos demais. Nas condições deste experimento, o híbrido DG 601 elite apresenta maior produtividade de grãos e espigas mais pesadas quando submetido ao cultivo em safrinha no cerrado. Os híbridos simples apresentaram maior peso de espigas, peso de 100 grãos e produtividade, quando comparado aos materiais com menor variabilidade genética.

 


Palavras-chave


Zea mays L., produção de grãos, variabilidade genética

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.