Qualidade fisiológica e sanitária de sementes salvas de soja da região Norte do Rio Grande do Sul

Cristiano Bellé, Stela Maris Kulczynski, Paulo Roberto Kuhn, Patricia Migliorini, Mauricio Sangiogo, Felipe Koch

Resumo


A utilização das sementes salvas pelos produtores é uma prática comum, que é influenciada pela tradição familiar como uma garantia de ter semente para uma eventual escassez de uma cultivar específica e também pela ideia que a semente produzida na propriedade não lhe custa nada. O trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade fisiológica e sanitária de sementes salvas de soja provenientes de agricultores da Região do Médio Alto Uruguai - RS. Foram avaliadas duas cultivares de soja (BMX Energia e NS4823) proveniente de cinco produtores da Região do Médio Alto Uruguai - RS que guardam suas próprias sementes, comparativamente avaliou-se as sementes comerciais (C1) da mesma cultivar. A qualidade das sementes foi determinada através dos testes de teor de umidade, germinação, vigor (primeira contagem da germinação, envelhecimento acelerado, condutividade elétrica, teste do hipoclorito de sódio) e teste de sanidade. De acordo com os testes realizados concluiu-se que as sementes salvas apresentam menor potencial fisiológico e alta incidência de patógenos.


Palavras-chave


Glycine max; germinação; teste de vigor e sanidade, sementes crioulas

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.