DIFERENTES DOSES DE FÓSFORO E FORMAS DE APLICAÇÃO NA CULTURA DO MILHO, EM BARREIRAS – BAHIA

Lucas Ribeiro Castro, Tadeu Cavalcante Reis, Osvaldo Fernandes Júnior, Ramon Brenner Silva de Almeida, Demontier Santos Alves

Resumo


Objetivou-se com essa pesquisa, estudar a associação entre doses e formas de aplicação de fósforo no desenvolvimento da cultura do milho, em Barreiras - BA. O experimento foi realizado na área experimental da Universidade do Estado da Bahia, Campus IX, no município de Barreiras, oeste da Bahia. Os tratamentos foram compostos por um esquema fatorial 2 x 4, testando duas formas de aplicação: a lanço (L) e no sulco de plantio (S) e quatro doses da adubação fosfatada: 0,0; 0,5; 1,0 e 1,5 vezes a dose recomendada para adubação corretiva: 100 kg ha-1 P2O5. Utilizou-se o delineamento de blocos casualizados, com quatro repetições. A variedade de milho utilizada foi a AL Bandeirante, semeada manualmente e realizando desbaste dez dias após a emergência. As variáveis analisadas foram: peso médio das espigas, massa de mil grãos e a produtividade total de cada tratamento. Em todas as variáveis estudadas, houve efeito significativo para o modo de aplicação e para as doses de P, porém, para a interação modo de aplicação versus doses de fósforo, não verificou-se efeito significativo. A aplicação do fertilizante fosfatado a lanço foi superior à aplicação no sulco em todas as variáveis estudadas, evidenciando que, este modo de adubação fosfatada resultou em maior eficiência de absorção do P pelas plantas de milho, em relação à adubação em sulco. 

Palavras-chave


Adubação, solo, superfosfato triplo

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.