Efeito do volume do tubete e doses de fertilizantes no crescimento inicial de mudas de Eucalyptus dunnii Maiden

Marcio Carlos Navroski, Marcos Felipe Nicoletti, Queli Cristina Lovatel, Mariane de Oliveira Pereira, Erasmo Luis Tonett, Marcos Vinicius Mazzo, Aline Meneguzzi, Dionéia Felippe

Resumo


O uso de fertilizantes de liberação controlada constitui-se umas das formas de suprimento ao longo da formação das mudas em viveiro. O objetivo do estudo foi testar doses crescentes de fertilizante de liberação controlada (FLC) em tubetes de diferentes tamanhos no crescimento inicial de mudas de Eucalyptus dunnii Maiden. As mudas foram originadas de sementes, semeadas em tubetes de 55cm³ e 110cm³, compondo o primeiro fator do esquema fatorial 2 x 5. Ao substrato foram adicionadas diferentes doses de FLC (0, 2, 4, 6 e 8 g L-1), compondo o segundo fator. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com 4 repetições de 25 plantas cada. Cem dias após a semeadura foi realizada a avaliação da altura, diâmetro do colo, área foliar (AF) e comprimento de raízes (CR). As mudas produzidas em tubetes de maior volume (110 cm³) e dose próxima a 5 g L-1 de FLC apresentaram os melhores resultados de altura, diâmetro do colo, área foliar e comprimento de raízes. Com o uso de tubetes de menor tamanho (55 cm³) foi necessário no geral maior dose de FLC. Doses maiores de 6 g L-1 de FLC promoveram a diminuição na qualidade das mudas, assim como doses menores a 4 g L-1. A escolha de tubetes de tamanho adequado e a definição da melhor dose de adubação são importantes para a produção de mudas de Eucalyptus dunnii de boa qualidade. 


Palavras-chave


Adubação, eucalipto, osmocote®, produção de mudas

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.