Características agronômicas de híbridos de milho segunda safra submetidos à aplicação de fungicida

Martios Ecco, Jean Sérgio Rosset, Leandro Rampim, Antonio Carlos Torres da Costa, Maria do Carmo Lana, José Renato Stangarlin, Marcos Vinicius Mansano Sarto

Resumo


O milho representa quase 40% dos grãos produzidos no Brasil, porém, a produtividade desta cultura é ameaçada por inúmeras doenças. Para o controle das doenças foliares, além da resistência genética tem-se preconizado o uso de fungicidas. Objetivou-se avaliar as características agronômicas de híbridos de milho de segunda safra, cultivados em sistema de semeadura direta, com e sem aplicação de fungicidas (piraclostrobina + epoxiconazol) aplicados no estádio de pré-pendoamento. O experimento foi conduzido em delineamento de blocos casualizados com esquema fatorial 2 x 2: dois híbridos de milho (30F53HX e P3161HX) e cultivo sem e com fungicida (piraclostrobina (133 g L-1) + epoxiconazol (50 g L-1). Foram avaliados o número de plantas e de espigas, comprimento de espigas, massa de grãos por espiga, massa de mil grãos e produtividade. Não foi verificada interação entre os fatores fungicida e híbridos. Da mesma forma não foi verificada diferença entre as variáveis para o fator fungicida. Para o fator híbrido houve diferença para as variáveis número de planta, massa de grãos por espiga, massa de mil grãos e produtividade. Tal efeito pode estar associado ao próprio caráter genético dos genótipos utilizados neste trabalho, sendo a maior produtividade observada com o híbrido 30F53HX.


Palavras-chave


cercosporiose, ferrugem, produtividade, Zea mays L.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.