Efeitos da temperatura do ar na fotossíntese da cana-de-açúcar na fase inicial do desenvolvimento

Anderson Guerra, Alexandrius De Moraes Barbosa, Kezia Aparecida Guidorizzi, Gustavo Maia Souza

Resumo


Frente às mudanças climáticas faz-se necessário não somente conhecer os efeitos da temperatura do ar no desenvolvimento das plantas, mas, também, conhecer quais fatores fisiológicos estão relacionados à redução e/ou aumento da fotossíntese. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da temperatura do ar sobre a fotossíntese e o desenvolvimento na fase inicial de crescimento da cana-de-açúcar. O experimento foi conduzido em câmara climatizada tipo fitotron com controle de temperatura, fotoperíodo e irradiância. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com oito repetições e três regimes de temperatura: temperaturas baixas (19 ºC diurna e 13 ºC noturna); temperaturas médias (29 ºC diurna e 23 ºC noturna) e temperaturas altas (33 ºC diurna e 27 ºC noturna), durante 150 dias. Aos 120 dias após o plantio (DAP) foi realizado, nas folhas +1, avaliações de parâmetros fisiológicos relacionados à fotossíntese. Aos 150 DAP foi avaliado o número de folhas, a altura, o diâmetro e a massa do colmo. Baixas temperaturas reduziram a eficiência fotossintética das plantas de cana-de-açúcar, como também o desenvolvimento e crescimento (altura das plantas, massa seca e diâmetro do colmo), tendo como causa principal uma limitação bioquímica pela redução da atividade enzimática da Rubisco. Altas temperaturas não afetaram a eficiência fotossintética das plantas de cana-de-açúcar, as quais apresentaram aumento em altura e redução do diâmetro do colmo.


Palavras-chave


eficiência de carboxilação, estresse térmico, Saccharum spp, trocas gasosas

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.