Efeito de bioestimulante no teor e no rendimento de proteína de grãos de soja

Danila Comelis Bertolin, Marco Eustáquio de Sá, Kuniko Ywamoto Haga, Fabiana Lima Abrantes, Débora Cristiane Nogueira

Resumo


Objetivou-se estudar o efeito da aplicação de bioestimulante nas sementes e em diferentes épocas do desenvolvimento da soja sobre o teor de proteína bruta e solúvel dos grãos. O experimento foi conduzido em um Latossolo Vermelho Distrófico típico, com semeadura em novembro de 2006 no município de Selvíria, MS. Para a determinação do teor de proteína foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições e quinze tratamentos: T1 – testemunha, T2 – aplicação de bioestimulante nas sementes (S), T3 – aplicação do produto no estágio V5 (V5), T4 – aplicação de bioestimulante em R1 (R1), T5 – aplicação de bioestimulante em R5, T6 – S+V5, T7 – S+R1, T8 – S+R5, T9 – V5+R1, T10 – V5+R5, T11 – R1+R5, T12 – S+V5+R1, T13 – S+V5+R5, T14 – S+R1+R5, T15 – S+V5+R1+R5. Apenas os dados obtidos para teor de proteína solúvel e rendimento de proteína solúvel variaram estatisticamente em função dos tratamentos.


Palavras-chave


Glycine max (L.) Merrill, fenologia, teor de proteína.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.