Ambiente interno em galpões de frango de corte com cama nova e reutilizada

Marta Santos Baracho, Juliano Arauo Cassiano, Irenilza Alencar Nääs, Gabriela Sanz Tonon, Rodrigo Garófallo Garcia, Ana Flávia Basso Royer, Daniella Jorge Moura, Mayara Rodrigues Santana

Resumo


O crescimento da avicultura brasileira exige o aperfeiçoamento das instalações a fim de melhorar a produtividade do sistema. A zona de termoneutralidade está relacionada a um ambiente térmico ideal, em que as aves possuem condições adequadas para expressarem suas características produtivas. Este trabalho foi realizado com o objetivo de analisar o microclima interno em galpões de frangos de corte utilizando cama nova (Galpão 1) ou cama reutilizada (Galpão 2), visando  entender a inferência da mesma sobre a dinâmica térmica do ambiente e quantificação do impacto de sua reutilização no ambiente interno do galpão. A avaliação foi feita com base nas variáveis ambientais: temperatura do ar, temperatura da cama e temperatura de globo negro, umidade relativa do ar, velocidade do ar e intensidade de luz. Com os dados coletados foram calculados os índices de temperatura e umidade (ITU), o índice de temperatura de globo negro e umidade (ITGU) e a carga térmica de radiação (CTR) de cada galpão. Em ambos os galpões a temperatura do ar ficou acima do recomendado (27,4 e 28,0°C). O galpão com cama reutilizada apresentou a menor umidade relativa do ar (57,8%) e a menor velocidade do ar (0,7 m s-1). Os índices de conforto apresentaram diferenças entre os sistemas, sendo as condições térmicas mais estressantes para as aves encontradas no galpão com cama reutilizada (ITU = 25,31 e ITGU = 25,67).

 

 


Palavras-chave


Avicultura, conforto térmico, bem-estar animal

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Agrarian

ISSN da versão online: ISSN 1984-2538
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.