Equipamentos de pulverização associados a volumes de calda e avaliados por alvos artificiais em cafeeiro

Gustavo Rabelo Botrel Miranda, Carlos Gilberto Raetano, Mateus Delgado Queiroz Cunha, Jader Moura Pinheiro, Paulo Rogério Lopes, Agda Silva Prado, Renato Humberto Carvalho, Marcelo Paiva Gonçalves

Resumo


O trabalho objetivou avaliar a qualidade do espectro de gotas da pulverização no cafeeiro com o uso de diferentes equipamentos e volumes de calda. O experimento foi conduzido em lavoura de café (Acaiá) do município de Campos Gerais, MG, e constou de três volumes de calda (150, 300 e 600 L ha-1). O menor volume foi pulverizado com o pulverizador pneumático de jato transportado Martignani modelo Whirlwind B612 “Autonom-Trac” e os demais volumes com o pulverizador hidráulico convencional de jato transportado para uso na cafeicultura. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com sete repetições.  A parcela constou de três linhas, com dez plantas cada, onde foram avaliadas as quatro plantas centrais de cada parcela. Para o estudo posicionaram-se alvos artificiais (papéis hidrossensíveis) no interior de cada planta avaliada, em quatro posições combinadas: superior, inferior e lados direito e esquerdo, formando assim o esquema de parcelas subdivididas no espaço. As variáveis avaliadas foram o DMV, DMN, PRD e CU pelo software e-Sprikle. O volume de calda em aplicações na cultura do café pode ser reduzido pelo uso do pulverizador pneumático de jato transportado.


Palavras-chave


Café, DMV, gotas, pulverizador, tecnologia de aplicação

Texto completo:

PDF




Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.