Características da carcaça de cordeiros alimentados com dietas contendo diferentes resíduos agroindustriais

Sérgio Carvalho, Cleber Cassol Pires, Tatiana Pfuller Wommer, Ana Carolina Pelegrin, Anderson Moro, Rafael Venturini, Daniele Brutti

Resumo


O objetivo do experimento foi avaliar o efeito da utilização de diferentes resíduos agroindustriais, casca de soja, quirera de arroz ou pó de malte de cervejaria, sobre as características de carcaça de cordeiros terminados em sistema de confinamento. Foram utilizados 12 cordeiros, machos, não castrados, da raça Texel, com peso inicial médio de 22,41kg, distribuídos aleatoriamente nos tratamentos. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado sendo as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Verificou-se maior peso de pescoço (P<0,05) nos cordeiros alimentados com quirera de arroz em relação àqueles alimentados com pó de malte de cervejaria. Para as demais variáveis analisadas, não foram observadas diferenças significativas (P>0,05) entre os tratamentos. Os resultados médios obtidos foram: 17,42 kg para peso de carcaça quente, 16,94 kg para peso de carcaça fria, 42,80% para rendimento de carcaça quente, 41,64% para rendimento de carcaça fria e 2,72% para perdas no resfriamento. Em relação aos diferentes cortes comerciais avaliados, foram obtidos para peso e proporção, respectivamente, os seguintes valores: 5,38 kg e 31,86% para perna, 3,42 e 20,15% para paleta, 6,87 kg e 40,58% para costilhar e 1,26 kg e 7,41% para pescoço. Os valores médios obtidos para composição centesimal foram 72,36% para umidade, 20,67% para proteína, 2,90% para extrato etéreo e 1,04% para cinzas. A utilização de casca de soja, quirera de arroz ou pó de malte de cervejaria na alimentação de cordeiros em sistema de confinamento não diferiram quanto as características de carcaça dentro dos padrões esperados para essa categoria animal.

Palavras-chave


cordeiros, confinamento, resíduos agroindustriais

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Agrarian

ISSN da versão online: ISSN 1984-2538
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.