Absorção de nutrientes por mudas de amoreira preta cultivadas em substrato orgânico

Larissa Madureira Martins, Maria do Céu Monteiro Cruz, Raoni Pereira de Carvalho, Miriã Cristina Pereira Fagundes, Paulo Henrique Grazziotti

Resumo


Informações sobre a nutrição da amoreira ainda são insipientes e para viabilizar a produção das mudas tem-se buscado alternativas para reduzir os custos de produção e o tempo da muda no viveiro. A utilização de composto com resíduo da indústria têxtil apresenta-se como alternativa favorável, pois evita a poluição do ambiente e serve como fonte de nutrientes. O trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a formulação do substrato com composto de resíduo da indústria têxtil sobre a absorção de macro e micronutrientes da amoreira preta cv. Brazos. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com quatro formulações de substratos, cinco repetições e cinco mudas por parcelas. O substrato foi formulado com composto de resíduos da indústria têxtil e Latossolo nas seguintes proporções: 0:1, 1:2, 1:1 e 2:1 (v/v). As mudas foram obtidas a partir de estaquia e colocadas em recipientes de 650 mL, contendo o substrato preparado. Aos 90 dias após o transplantio das mudas, foram retiradas amostras de folhas para determinação dos teores de nutrientes acumulados na massa seca. Os resultados observados demonstraram que o resíduo da indústria têxtil pode ser utilizado para formular substratos para a produção de mudas de amoreira em proporções que não ultrapasse 50%. Os substratos com 33% e 50% do composto atenderam a demanda de nitrogênio, potássio, magnésio, boro e zinco das mudas de amoreira sem a necessidade do fornecimento de fertilizantes comerciais. 


Palavras-chave


Rubus sp., propagação, estado nutricional

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.