Variabilidade espacial e temporal da produtividade de soja no Cerrado brasileiro

Eduardo Leonel Bottega, Francisco de Assis de Carvalho Pinto, Daniel Marçal de Queiroz, Nerilson Terra Santos, Cristiano Márcio Alves de Souza

Resumo


A região do cerrado brasileiro é uma das mais importantes no cenário nacional de produção de grãos, porém, apresenta solos de baixa fertilidade natural. Regiões com essas características apresentam potencial para o emprego de técnicas de agricultura de precisão. O mapeamento da produtividade, neste cenário, torna-se importante, auxiliando na prescrição de aplicação de fertilizantes a doses variadas. Neste contexto, o presente estudo objetivou analisar a variabilidade espacial e temporal da produtividade de soja, em uma área situada no cerrado brasileiro, onde se adota o sistema de plantio direto e rotação de culturas. O mapeamento da produtividade de soja foi realizado em uma propriedade localizada no estado do Mato Grosso do Sul, em área de Cerrado. Foram estudados três anos de mapeamento da produtividade, sendo representativos das safras de 2007/2008, 2008/2009 e 2009/2010. Para avaliar a dependência espacial e temporal da produtividade, técnicas estatísticas e geoestatísticas foram empregadas. Foi observada dependência espacial e temporal da produtividade de soja para as três safras avaliadas. Na análise da variabilidade temporal da produtividade foi detectado que 12,7% da área apresentaram produtividade instável.


Palavras-chave


agricultura de precisão; geoestatística; mapeamento da produtividade

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.