Implantação de feijão-de-asa com utilização de semeadura direta e por mudas de diferentes idades

Larissa Cristina Duarte e Silva, Santino Seabra Júnior, Renê Arnoux da Silva Campos, Luan Fermando Ormond Sobreira Rodrigues, Mônica Bartira da Silva

Resumo


Objetivou-se com este trabalho comparar a implantação da cultura de feijão-de-asa a partir de mudas e semeadura direta e verificar a idade ideal da muda para o transplantio. O experimento foi instalado e conduzido em viveiro telado no Setor de Olericultura – Campo Experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, Cáceres-MT, entre os meses de abril e junho de 2009. O experimento foi constituído pelas fases de muda e a campo, sendo seis tratamentos e quatro repetições, que consistiram da semeadura direta a campo e de mudas transplantadas com cinco diferentes idades (aos 13, 18, 23, 28 e 33 dias após a semeadura). Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado na fase de muda e para fase de campo blocos casualizados. Foram avaliados no dia do transplante o comprimento da muda, número de folhas, massa fresca e massa seca, do caule, das folhas, da reserva cotiledonar e das raízes e, após o transplante, o desenvolvimento das plantas (número de folhas e altura). Pode-se concluir com este trabalho que a implantação da cultura do feijão-de-asa através de mudas proporciona vantagens de precocidade de desenvolvimento em relação à semeadura direta, e que as plantas provindas de mudas com 13 dias após a semeadura proporcionam melhor desenvolvimento inicial da cultura.


Palavras-chave


Psophocarpus tetragonolobus L.; qualidade de muda; produção de muda; desenvolvimento

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.