Interferência de plantas daninhas em dois cultivares de soja

Cassio Jardim Tavares, Adriano Jakelaitis, Rogerio Ernani Marangoni, Bernardo Piccolo Moreira Rezende, Paulo Cesar Ribeiro da Cunha, Milton Sergio Dornelles

Resumo


Objetivou-se neste trabalho determinar os períodos de interferência de plantas daninhas em dois cultivares de soja (Pioneer 98Y11 e Pioneer 98C81). Para cada cultivar de soja, dois ensaios foram conduzidos em blocos ao acaso, com quatro repetições. No primeiro ensaio, a soja foi mantida em convivência com as plantas daninhas por dez períodos ao longo do ciclo [0, 0-7, 0-14, 0-21, 0-28, 0-35, 0-42, 0-49, 0-56 dias após a emergência (DAE), e 0 até a colheita], e no segundo ensaio a cultura foi mantida livre da convivência das plantas daninhas durante os mesmos períodos. A presença de plantas daninhas afetou o número de vagens por planta e rendimento de grãos de soja. O período anterior à interferência no cultivar 98Y11 foi até os 13 DAE e no cultivar 98C81 até os 14 DAE. O período de prevenção total da interferência foi até os 27 DAE no cultivar 98Y11 e até aos 76 DAE no cultivar 98C81. O PCPI foi entre 13 aos 27 DAE e dos 14 aos 76 DAE para ambos os cultivares, respectivamente.


Palavras-chave


Competição; Glycine max; períodos de convivência

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.