Manejos para Redução de Arranhões Dorsais em Frangos de Corte

Márcio Pilecco, Ibiara Correia de Lima Almeida Paz, Luciane Almeri Tabaldi, Irenilza de Alencar Nääs, Rodrigo Garófallo Garcia, Fabiana Ribeiro Caldara, Marília Carvalho Figueiredo Alves, Fabiana Cavichiolo

Resumo


A realização deste estudo teve por objetivo avaliar a influência do manejo convencional e manejo alternativo na produção de frangos corte sobre a incidência de arranhões dorsais. Foram realizadas 894 amostragens em 351 aviários de frangos de corte em uma integração comercial, no Mato Grosso do Sul, Brasil. Durante o ano de 2010 foram realizadas amostragens em aves de todas as idades (1 a 43 dias), capturando 2 % dos animais alojados, sendo que o mesmo lote foi avaliado duas vezes, em intervalos de 21 dias. Todos os lotes eram formados por aves sexadas, não existindo lotes mistos. As lesões causadas por arranhões foram classificadas em ausência ou presença. Verificou-se diferença (p < 0,05) para o índice de lesões dorsais nas aves submetidas ao manejo convencional e alternativo. As aves alocadas em aviários com equipamentos automatizados (manejo alternativo) obtiveram menor incidência de lesões quando comparadas com as aves em sistema manual. O manejo de revolvimento da cama com o auxilio de mini-tratores influenciou a qualidade da carcaça, entretanto, encontrou-se menores índices de arranhões em frangos de corte alocados nos aviários que utilizavam mini-trator até 38 dias de idade. Observou-se que as aves se assustam facilmente com este tipo de equipamento, o que acarreta sobreposição destas, elevando as lesões por arranhões.


Palavras-chave


avicultura; manejo alternativo; qualidade de carcaça

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.