Relação entre o tamanho e a qualidade fisiológica e sanitária de sementes de soja

Gleberson Guillen Piccinin, Lilian Gomes de Moraes Dan, Thiago Toshio Ricci, Alessandro de Lucca e Braccini, Mauro Cezar Barbosa, Tana Balesdent Moreano, Adalbert Horvathy Neto, Gabriel Loli Bazo

Resumo


Os efeitos do tamanho da semente no seu desempenho em capo e a sua relação com a qualidade fisiológica dessas sementes vêm sendo estudados por diversos autores, entretanto, a compreensão dos diferentes componentes do desempenho das sementes não é um assunto completamente esclarecido. Desta forma, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade fisiológica e sanitária das sementes classificadas em tamanhos 5,5 e 6,5 mm. As cultivares utilizadas foram: BRS 184, NK 7059 RR, BMX POTÊNCIA RR, NK 7054 RR, BRS 245 RR, BRS 255 RR, CD 214 RR, BRS 232 e CD 266 RR. Foram avaliados nove cultivares por meio dos testes de germinação (primeira contagem e contagem final), teste de frio modificado, envelhecimento acelerado, condutividade elétrica e teste de sanidade. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com quatro repetições. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste de agrupamento de Scott-Knott, em nível de 5% de probabilidade. As sementes classificadas nas peneiras 5,5 mm e 6,5mm apresentam similaridade no potencial fisiológico das sementes. A qualidade sanitária é influenciada pelo tamanho das sementes.


Palavras-chave


Cultivar, Glycine max, tamanho, vigor.

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.