Prevalência de cisticercose bovina no Estado de Goiás

Samuel Mariano-da-Silva, Roosevelt Nunes Rocha, Silvio Luiz Oliveira, Antonio Paulino Costa Netto

Resumo


Os procedimentos visando à detecção da cisticercose muscular nas carcaças de bovinos constituem uma das tarefas mais significativas para os especialistas em higiene de carne e são a principal baliza para prevenir a transmissão da teníase. Para quantificar o problema, um estudo retrospectivo de detecção de Cysticercus bovis em bovinos abatidos no Estado de Goiás foi realizado com base nos registros oficiais do Serviço de Inspeção de Carne Brasileira. A análise da sua distribuição espacial foi realizada em conformidade com a divisão político-administrativa adotada pelo Governo do Estado, composta por 10 Regiões Administrativas (RAs), totalizando 233 municípios. Os registros demonstraram uma ocorrência de 33.979 casos em 1.048.959 animais abatidos, equivalentes a uma prevalência de 3,23% no Estado. As Regiões Sul, Sudeste e Metropolitana apresentaram altos índices de prevalência (4,85%, 4,48% e 5,12%, respectivamente) sendo médias acima daquela considerada aceitável (até 3%), tornando necessária a adoção de medidas preventivas urgentes para controlar tal fato.


Palavras-chave


Cysticercus bovis, prevalência, bovinos abatidos

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.