Detecção de sementes de soja geneticamente modificada por meio de teste de germinação

Rafael Heinz, Antonio Luiz Viegas Neto, Tarcisio de Oliveira Valente

Resumo


O trabalho teve como objetivo a detecção de sementes de soja geneticamente modificadas utilizando teste de germinação. O experimento foi baseado no teste de germinação, utilizando como tratamento duas variedades de soja (BRS 245RR e CD202) e cinco concentrações da solução de glifosato (15, 30, 45, 60 e 75%) e uma testemunha (água destilada). As sementes de soja foram alocadas em papel germitest pré-embebidos em solução de glyphosate de acordo com os tratamentos e levadas ao germinador.  Foram avaliadas a porcentagem de germinação de plântulas normais, anormais e sementes mortas, comprimento de radícula, hipocótilo e epicótilo. A cultivar de soja convencional apresentou as menores porcentagens de plântulas normais e maiores de plântulas anormais e sementes mortas. Houve redução do comprimento de radícula, hipocótilo e epicótilo proporcional ao aumento da concentração de solução de glifosato, sendo mais drástica na cultivar não geneticamente modificada. A utilização de teste de germinação com substrato embebido em solução de glyphosate é eficiente para detectar sementes de soja geneticamente modificadas resistentes ao glyphosate. Recomenda-se a semeadura em substrato umidecido com solução de glyphosate na concentração de 45%.


Texto completo:

PDF




Revista Agrarian 
e-ISSN 1984-2538

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.