Repelência de Ascia monuste orseis (Latreille) (Lepidoptera: Pieridae) exposta às soluções homeopáticas

Nilbe Carla Mapeli, Ricardo Henrique Silva Santos, Vicente Wagner Dias Casali, Cassiano Cremon, Loana Longo

Resumo


Estudou-se a preferência alimentar do curuquerê-da-couve, Ascia monuste orseis em couve tratada com soluções homeopáticas. Folhas de couve ‘Manteiga cv. Santo Antonio’ foram coletadas dos vasos cultivados em estufa e cortadas em forma de discos (3,5 cm de diâmetro), sendo colocados seis ou sete discos representativos de cada solução homeopática em caixas gerbox. No centro de cada caixa foram liberadas cinco lagartas de 4o ínstar. As soluções foram aplicadas nas folhas retiradas da planta, minutos antes do corte dos discos a serem oferecidos às lagartas. A diluição aplicada foi de 0,2 mL da solução homeopática por 200 mL de água, misturados em jarros individualizados e transferidos para pulverizadores exclusivos manuais (500 mL). As avaliações foram feitas 60 minutos após a liberação das lagartas, por meio da contagem do número de lagartas em contato ou alimentando-se com os discos. As lagartas tiveram preferência por ficarem sem contato com os discos de folhas de couve, homeopatizados ou não. Esse comportamento foi caracterizado como mecanismo de repelência (fuga) das lagartas, levando-as a locomoverem-se em busca de outros alimentos. Possivelmente, as soluções homeopáticas desencadearam nas folhas de couve estímulo à produção de substâncias voláteis de defesa e pela proximidade entre os discos as não homeopatizadas podem não ter sido identificadas como possíveis hospedeiros.


Texto completo:

PDF


Revista Agrarian

ISSN da versão online: ISSN 1984-2538
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)

Licença Creative Commons

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.