Interação de híbridos de milho cultivados na safrinha e o controle químico da lagarta-do-cartucho Spodoptera frugiperda (J.E Smith, 1797)

Luciana Cláudia Toscano, Fabrício Alderico Gonzatto, Alexandre Moraes Cardoso, Wilson Itamar Maruyama

Resumo


Spodoptera frugiperda é praga-chave da cultura do milho e pode comprometer a produção da lavoura. O objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência de inseticidas no controle desta praga bem como sua interação com diferentes híbridos de milho durante o cultivo da safrinha. O estudo foi conduzido utilizando-se três híbridos de milho (30F36, 30K73 e 30K75) e dois inseticidas (Match CE e Karate Zeon 50 CS) distribuídos em fatorial com quatro repetições. Durante o desenvolvimento das plantas, foram realizadas avaliações semanais para avaliar a injúria das lagartas às plantas a partir dos 15 DAE (dias após emergência). As aplicações dos inseticidas foram realizadas de acordo com o nível de controle recomendado para a cultura, sendo aos 17 DAE (20% de plantas com folhas raspadas) e aos 31 DAE (10% de plantas com folhas raspadas e perfuradas). Verificou-se maior ataque aos 16 DAE e a partir dos 37 DAE houve um decréscimo do dano médio de ataque da praga até o final do ciclo da cultura. Os inseticidas utilizados proporcionaram diminuição nos danos médios de ataque desta praga ao longo de desenvolvimento da cultura. O híbrido 30K75 foi mais suscetível aos 23 DAE e o 30F36 aos 37 DAE.


Palavras-chave


Zea mays, inseticidas, resistência, amostragem

Texto completo:

PDF


Revista Agrarian
ISSN da versão impressa: ISSN 1984-252X (Cancelada)
ISSN da versão online: ISSN 1984-2538

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.