A derrocada política de Jacob Zuma no traço de Zapiro

Renata de Paula dos Santos, Rozinaldo Antonio Miani

Resumo


O presente artigo analisa algumas charges que representam a historiografia recente da África do Sul, a partir do traço de Jonathan Shapiro. O profissional, mais conhecido como Zapiro, se destaca entre os artistas do traço mais influentes do seu país. Os argumentos, verificados a partir da análise do discurso chárgico, apresentam características pessoais e políticas do ex-presidente do país, Jacob Zuma. Ele renunciou ao cargo em fevereiro de 2018, após pressões de seu próprio partido. Zuma acumula mais de 800 denúncias de corrupção e, em 2006, foi a julgamento, acusado de ter estuprado uma jovem portadora de HIV. Entre os autores que fundamentam este trabalho, destacam-se Carlin (2009), Romualdo (2000), Santos (2014) e Miani (2005; 2012).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/frh.v20i35.8634

Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.