(Re) conduzindo rebanhos: literatura piauiense nas trilhas da fé e da razão

Pedro Pio Fontineles Filho

Resumo


O objetivo principal desse trabalho é discutir sobre as interconexões entre a religiosidade e a escrita literária piauiense do final do século XIX e início do século XIX, no tocante às práticas religiosas e os ideais de uma vida moderna. O recorte está circunscrito a esse período em decorrência das convulsões sociais, econômicas e políticas impulsionadas principalmente pelos conflitos que envolviam a implantação do regime republicano, e de seus princípios modernistas, em confronto com as posturas religiosas da época. Metodologicamente, o trabalho está orientado pela leitura analítico-interpretativa de crônicas e textos de Clodoaldo Freitas, notadamente dos livros Em roda dos fatos e História de Teresina, além de escritos de Elias Martins, em Fitas e Guerras Sectárias. Somando-se a esses textos, jornais e mensagens governamentais da época também compuseram o lócus documental, para a visualização da configuração histórica. Como base teórica, recorreu-se às proposições feitas por Benjamin (1994), Sevcenko (1999) e Queiroz (1998) sobre as relações entre história e literatura, bem como as discussões de Certeau (1994) acerca da prática escriturária do historiador e as noções de lugar social e lugar institucional; o conceito de apropriação, de Chartier (1988), além das discussões sobre religiosidade de Hermann (1997). Considera-se que os textos de Clodoaldo Freitas e Elias Martins representam o próprio caráter da historiografia e da literatura piauiense como uma escrita questionadora da sociedade e dos valores religiosos daquele momento.

Palavras-chave


História. Literatura. Religiosidade.

Texto completo:

PDF


Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.