Aprender com objetos no Museu da República: propostas de leitura das dobras do tempo

Carina Martins Costa, Marta Cristina Dile Robalinho

Resumo


O artigo pretende discutir as possibilidades e os usos pedagógicos do objeto no ensino de História, com especial atenção para o Museu da República. Para tanto, a proposição de paradigmas educativos a partir da leitura do objeto é válida como exercício interpretativo. Tal opção metodológica não parte do pressuposto, contudo, de que o objeto é supremo e impõe o sentido construído no e pelos museus, o que seria demasiadamente reducionista e implicaria em pensar em um valor intrínseco às coisas. Refletir sobre as especificidades da linguagem museal permite refletir sobre a escrita e a difusão de narrativas históricas nos museus, a partir de diferenciadas experiências no tempo e espaço.

Palavras-chave


Objeto. Ensino de História. Museu. Museu da República. Temporalidade.

Texto completo:

PDF


Fronteiras: Revista de História - PPGH/FCH/UFGD
 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.